D&D Podcast: Monstros!

Saiu hoje o D&D Podcast #16, e como foi anunciado no #15, este fala exclusivamente sobre monstros. Para isso, Dave Noonan e Mike Mearls chamaram o James Wyatt, que esta coordenando o trabalho no novo Monster Manual e fizeram uma série de perguntas pro cara. Os destaques seguem abaixo:

Aos 1:30 James Wyatt fala sobre o critério que eles usaram para limar os monstros, e ele diz que o primeiro Monster Manual da quarta edição será composta por uma mistura de criaturas clássicas, outras surgidas durante a terceira edição e algumas inéditas. Alguns monstros foram deliberadamente deixados de fora, como os Gigantes de Gelo, para serem incluídos nos próximos Monster Manuals – segundo ele todos os Monster Manuals e Player’s Handbooks da quarta edição serão considerados “core”.

Aos seis minutos eles debatem as mudanças dos monstros, e o destaque entre elas é a diferenciação dos monstros humanóides, que nas edições anteriores eram muito parecidos, variando mais pelo seu Dado de Vida. Agora eles possuem estratégias e habilidades diferentes entre si – Gnolls lutam como uma matilha, hobgoblins são organizados como legionários, Goblins são esquivos e usam táticas de guerrilha. Os elementais também sofreram modificações, mas falaram pouco delas, provavelmente derivadas da fusão dos planos elementais.

Logo depois, aos oito minutos, são comentados os papéis dos monstros nos combates, semelhantes aos dos personagens dos jogadores. São eles: brutes (aguentam muito dano mas não são necessariamente difíceis de acertar) ; soldiers (formam a linha de frente de proteção dos membros mais fracos); controller, artillery e skirmirsh ou lurker .

Aos 10 minutos James Wyatt respondeu sobre a adaptação dos monstros já existentes para a nova edição, e disse que muitos monstros estão mecanicamente bem diferentes, ainda que permaneçam fiéis a seu conceito original. Eles priorizaram a mesma lógica que sugeriram na adaptação de personagens para a nova edição: não se prendam aos números e habilidades, mas ao conceito central do personagem.

Em 12:30 os três discutem que monstros têm um conceito interessante, masque foram mal desenvolvidos na terceira edição e Wyatt atira nos dragões! Segundo ele os dragões possuíam muitas habilidades e magias, mas eram difíceis de usar e geralmente não eram bons conjuradores. Parece que na nova edição os dragões não terão magia inata – a não ser é claro que adquiram níveis de classes conjuradoras.

Aos 18 minutos eles discutem as relações dos monstros entre si e com o mundo, e apontam para criaturas que na terceira edição teoricamente deveriam ser encontradas no mesmo habitat – como Azers e Gigantes do Fogo, mas que pela discrepância de seus CR um combate com as criaturas juntas era difícil de sair direito. Assim os Azers sofreram um upgrade, e terão CR que varia entre 14 e 17.

Aos 20 minutos James Wyatt da alguns exemplos de poderes e ataques de monstros interessantes. Ele cita três: Os dragões, que ao serem flanqueados ganham um ataque extra com a cauda como se fosse uma ação imediata; o Algoid, uma espécie de monstro formado por pequenas criaturas que muda de forma; e a Briar Witch, uma espécie de Dríade que possui a habilidade de se teleportar até dez quadrados desde que termine e comece seu movimento próxima a uma árvore.

Finalmente Noonan e Mearls fazem um desafio para o James Wyatt e pedem para ele montar um encontro para determinado grupo e ambiente em menos de um minuto. Alguns saem meio sem pé nem cabeça…

Essa edição do podcast deixou um pouco a desejar se comparada com a última. Poucos monstros foram revelados, ou alguma outra noticia realmente nova.

Comments are closed.