Mais um monte de pequenas informações da 4ª edição

Apareceram na ENworld algumas informações sobre mecânicas e escolhas editoriais da nova edição, liberadas em uma palestra com Mike Mearls e Bill Slaviscek na convenção I-Con.

Power Sources:
WotC has identified 8 power sources that should take care of basically 90% of the classes they foresee making. They did not mention which ones these are aside from Arcane, Divine, Martial and Psionic.

New Classes:
New classes are mainly going to be introduced in PHBs.

Paragon Paths:
I asked if you “had” to take a paragon path. I was told you had the choice of what path to take when it was appropriate. There is another thing you can do if you absolutely do not want a paragon path, but it didn’t sound like that was a recommended idea.

Magic Item Creation:
There will be a ritual available to drain magic from captured items to add to other items. This ritual will be usable in a dungeon.

Crafting:
There has been some talk about creating a more detailed crafting system.

Bull Rush:
Strength Attack vs. Fortitude Push one square back.

Resurrection:
Ritual, DM free to limit access in the world.
No longer using the term resurrection, ritual is Raise Dead.

Purpose of the DMG:
The DMG’s focus is on aiding the DM in customizing and “kit-bashing: the D&D game.

Sorcerer:
Sorcerer will be in PH2. Power Source not revealed. (My vote is primal.

Skill Challenges:
Traps.
Natural Hazards.
Social Encounters.
Party must get a certain number of secrets before a certain number of failures.
Mixing skill, everyone can participate.

Adventures:
There will be a epic tier adventure centering on a jelly-bean eating contest on the DDI.

Milestones:
Gain an action point. Recharge magic items.

Domains?:
Cleric specialization is mostly done through feats.

Paladins:
Paladins choose their god, must have the same alignment.

Magic Items:
Magic items are definitely focused on powers, not bonuses.

Keywords:
All powers have keywords.

Half-Orcs:
No stats, the closest thing would be to use the orc race stats from the MM.

Marketing:
Early marketing is for migration of current D&D players. Acquisition is in the fall. [Starter Set]

Alignment: [A paraphrase]
Me: What’s going on with Alignment. Are Lawful and chaotic still in the game?
M. Mearls: There is still Lawful Good, Good, Unaligned, Evil, Um do we still have chaotic evil?
B. Slaviscek: I tihnk that was changed? Did we change
M. Mearls: Umm, that’s more of a “world issue” I’m more of the rules guy.

So, I think we may be looking at:
Lawful Good — Good — Unaligned — Evil — Chaotic Evil

Ok, não é exatamente o melhor trabalho de transcrição que a civilização ocidental já viu, mas tem algumas coisas divertidas.

Sobre as fontes de poder, as confirmadas no PHB são Arcana, Divina e Marcial, mas sabemos que ainda em 2009 um suplemento deve trazer os Poderes Psiônicos. Além disso, bárbaros e druidas das coleções recentes de D&D Miniatures têm vindo com Primal como sua fonte de poder. O pessoal da ENworld tem concordado que outra das fontes de poder será Shadow, o que se for verdadeiro ainda deixa espaço para mais duas. Para quem gosta de adivinhar, é provável que todas as fontes de poder se encontrem nesta lista de keywords que dividem as miniaturas de DDM 2.0.

O ritual referente aos itens mágicos é claramente uma resposta a questão da troca constante de itens e armas mágicas – aquela coisa da espada +1 que é um tesouro da família e tal, e na segunda aventura é trocada pela espada +1 flamejante achada em uma masmorra qualquer. Quero ver como isso vai ser feito, a proposta parece legal, um pouco na linha do que o Artífice de Eberron podia fazer.

Os feiticeiros estão mesmo no Player’s Handbook II, agora temos que torcer para que acertem a mão desta vez. Já os meio-orcs ainda vão ficar de fora, mas não sei se isso pode ser considerado como algo definitivo, conhecendo a WotC, apostaria que não.

A mudança nos alinhamentos pareceu estranha, afinal já estamos totalmente acostumados a pensar nos 9 tipos em torno dos dois eixos. Mas eu realmente não me importo, o fato dos alinhamentos terem sua importância reduzida já me deixa feliz demais, e pelo que o Mearls falou, a questão dos alinhamentos será muito mais atrelada aos cenários e descrição em geral do que uma mecânica central como na 3ª edição.

2 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. valberto disse:

    Quando mais eu leio sobre a quarta ediçõ mais vontade eu tenho de baixar o livro ao inves de compra-lo. Será que só eu tenho essa impressão?

  2. Avoloch disse:

    eu vou comprá-lo ja está encomendado

Comments are now closed for this article.