Beastmaster!

Mais um preview do Martial Power, e desta vez não é algo sobre guerreiros! O artigo nos apresenta o novo build dos rangers, o Beastmaster, um combatente que tem como aliado uma criatura selvagem tal qual o ranger a 3ª edição.

As sugestões do build são do foco em Força, já que estamos falando de um combatente voltado para o combate corpo a corpo, Destreza como habilidade secundária e finalmente Sabedoria. Mas a parte que realmente importa aqui são a nova habilidade de classe Beast Mastery e os poderes diferentes.

Beast Mastery é adquirida se o ranger abrir mão da habilidade de classe Prime Shot (que não é grandes coisas) e não escolher um Fighting Style (ai sim faz falta, principalmente para quem luta corpo a corpo). Em troca de não receber essas habilidades, o ranger ganha uma companhia animal, que pode ser das seguintes categorias: urso, javali, gato, lagarto, raptor (aqui no sentido de ave acredito), serpente, aranha e lobo. Essas categorias não tratam de animais específicos, mas de grupos de animais semelhantes. Os detalhes mais específicos, como espécie, traços físicos e tal ficam por conta do jogador. A espécie de uma companhia animal não afeta suas estatísticas, são todas idênticas de acordo com seu nível e categoria. Acho que vai ser naquele esquema – todas as companhias animais de 4° nível são iguais, mas o ataque do lobo pode derrubar o inimigo, enquanto o das cobras envenena e por ai vai…

Uma coisa divertida é que a habilidade Hunter Quarry é compartilhada com sua companhia animal. Primeiro o alvo da habilidade pode ser o inimigo mais próximo do seu companheiro selvagem, ao invés de ser somente aquele mais próximo do beastmaster. Além disso, a criatura animal também pode causar o dano extra do Hunter Quarry, desde que você não tenha utilizado a habilidade naquela rodada. Muito bom mesmo, além de possibilitar que o ranger fique de longe atirando enquanto a companhia animal faz o estrago, o Hunter Quarry em relação ao inimigo mais próximo do animal mas com bônus para o ranger é uma grande vantagem tática que pode ajudar e muito os membros da classe baseados em ataques à distância.

Infelizmente o beastmaster só pode ter uma companhia selvagem por vez, mas acredito que no futuro teremos talentos que dêem um jeito nisso.

Os novos poderes são um de cada tipo, livre, por encontro e diário. O poder livre é o Predator Strike um ataque corpo a corpo da companhia selvagem que causa o dano 1[B], uma novidade, e que certamente é o dano básico da criatura, que aumenta a medida em que ela avança de nível. Bacana, mas convenhamos que só pode ser realmente avaliado quando colocarmos os olhos nas estatísticas dos companheiros selvagens né?

O poder por encontro Enclose the Prey é muito bom – além de causar o dano respeitável de 2[W] + bônus do modificador de Força e Hunter Quarry ainda permite que tanto o ranger como a companhia animal usem shift em 2 quadrados antes de atacar. E com direito para dano extra de Sabedoria se a o companheiro selvagem for um lobo, aranha ou gato!

Finalmente o poder diário Driving the Quarry que causa o dano padrão dos diários de ranger (2[W] + bônus do modificador de Força), mas se o alvo estiver designado como seu Hunter Quarry, você pode movê-lo por 2 quadrados, assim como seu companheiro animal, colocando adjacente ao inimigo. Se este, além de ser seu quarry também estiver bloodied você pode mover sua criatura aliada até 4 quadrados. E se o seu companheiro animal for um gato, raptor, aranha ou lobo, você pode movê-lo para qualquer quadrado adjacente ao oponente. Quantos “ses”, este poder é tão meia-boca quanto mal escrito…

Parece que este build vai ser divertido de se jogar. O Dungeons & Dragons se tornou mais que nunca um jogo sobre posicionamento tático, e o beneficio de controlar outro combatente – ocupar mais espaços, flanquear, mover por lados diferentes – é definitivamente uma vantagem que não pode ser ignorada.

16 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. Gilson disse:

    O que são esses códigos ‘[B]’ e ‘[W]’ ?

    Gilson

  2. rsemente disse:

    [B] é o dano do animal, o dano causado por um ataque basico dele. E o [W] é o dano basico do heroi, no caso o beast master.

    Com o tempo a 4ªEdição esta trazendo as mesmas possibilidades da antiga, e talvez comece a ficar interessente criar coisas nela pois estão dando mais opções do que o simples X[W] e shif em voce, um aliado, ou oponente.

  3. Tom disse:

    Warcraft, World of Warcraft, WoW…
    http://www.battle.net/war3/neutral/beastmaster.shtml

    Eu sou super fã da 4e (E de wow também heuiehe), mas essa aí ficou descarada mesmo.. Quase certeza que o raptor ali é o dinossauro até por isso, porque tem no wow.. São quase os mesmos tipos de familia de animais também…
    Mas gostei, apesar do plágio. Parece bem interessante de jogar, e toca num ponto que estava pendente, a companhia animal. Fico imaginando se elas terão poderes at will, encounter e daily, já que provavelmente vão ter alguma progressão… Ou se vão funcionar que nem monstros do MM.

  4. Tom disse:

    PS: aliás, achei que o link era pra spec de hunter no WoW de beastmastery…
    http://www.wowwiki.com/Hunter_pet#Tamable_Beasts só pra contribuir com um link do tipo de pets do wow pra quem quiser comparar.

  5. Não vejo nada com referência ao WoW, visto que o companheiro animal do Ranger já vem de muito tempo, além disso, se for por causa do nome, temos tb a prestige class beastmaster em um dos livros do 3.5. :)

  6. Michel disse:

    Não consigo me animar pra experimentar esse jogo aí da Wizard.

    Prefiro RPG.

  7. Gilson disse:

    AhaHaHAHA!! Essa foi punk.

    Gilson

  8. Barba disse:

    Gilson

    Milênios antes do WoW ou do Warcraft isso era uma classe do famoso Tactics Ogre. Era nome de um filme de fantasia tosca… é um clichê meio oitentista.

    A Blizzard é ótima mas não inventou a roda : )

  9. Gilson disse:

    Sim, concordo! Não há tantas novidades no mundo de Azeroth, mas é a polêmica ‘4a edição que virou videogame ou MMO’. Bem, para mim, sempre foi videogame de papel desde meu Dragon Quest e da caixa preta da Grow.

    Eu apenas acompanho tudo e vou me divertindo. :D

    Abraços!

    Gilson

  10. Tek disse:

    Agora só falta o Marksman e o Survival.

  11. C disse:

    Olha o medo… pq companheiros animais, summons e cia eram uma das coisas que faziam o jogo entortar bonitaço na 3.5(“Ah, minha classe me dá um personagem extra, mal ae hauhauhauhauh”)

  12. C disse:

    UPDATE: depois de ler a classe fiquei mais tranquilo, vc não ganha um personagem extra como acontecia na 3.5, apenas o seu pet ataca no seu lugar ou coisas do tipo, ufa…

    É, nesse caso concordo que parece bem divertida mesmo

  13. Heitor disse:

    Cara, fiqeui encucado com essa ilustração aí…

    São tiranossauros humanóides? Suponho que tenha algo a ver com Eberron.

  14. Rocha disse: (Author)

    São tiranossauros humanóides? Suponho que tenha algo a ver com Eberron.

    Dragonborns?

  15. Gilson disse:

    Não consigo me animar pra experimentar esse jogo aí da Wizard.

    Prefiro RPG.

    Ei, Michel, não é jogo da Wizard não. É brinquedo da Hasbro. AhahaHaHaHAHAH!!!

    Gilson Rocha, dominando terra para impedir as pedradas

Comments are now closed for this article.