Nem tudo que te linka é ouro…

Este post tem boas chances de ser mal interpretado, e algumas ainda maiores de ser interpretado corretamente e e mesmo assim causar alguma confusão. Então antes de começar gostaria de lembrar que falo apenas por mim, não estou levantando uma bandeira, puxando um movimento e nem nada do tipo. Dito isto, vamos lá!

Esta semana apareceram mais dois agregadores de blogs de RPG, que surgem dois meses depois que o Tarmann anunciou que estava trabalhando no primeiro dos agregadores nacionais. Estes dois novatos são a Lista Lúdica que segundo seu criador Romulo (que também fez a lista de discussão de blogs de RPG):

Usando recursos do blogspot, construí um pequeno agregador que lista, de forma atualizada, uma série de blogs sobre jogos de tabuleiro e RPG. Para a comodidade de todos, aí está o Lista Lúdica:

Nessa página fica fácil dar uma olhadela no que andam falando por aí sobre RPG e Jogos de Tabuleiro. Se vocês quiserem adicionar algum endereço basta deixar um comentário! Se você anda com pregs de entrar no seu google reader, essa é a solução. Além do mais, a idéia é ter sempre coisa diferente. Tomarei cuidado para não sair cadastrando tudo e deixar virar um bolo doido.

(…)

Cara, é a mesma idéia do RPGBrasil, mas eles têm ferramenta buscas, núvem de tags e mais uma série de coisas sofisticadas que não pretendo colocar na lista lúdica por uma razão simples: eu a fiz apenas com as ferramentas básicas do blogspot. De “mão na massa”, só o template de 3 colunas (que eu evidentemente peguei pronto e adaptei para o que eu precisava) e, um dia, talvez, um layout próprio. A outra diferença também é que a Lista Lúdica também tem blogs de eurogames e jogos de tabuleiro.

Além da falta de pretensão (o que é ótimo!), me atrai muito na Lista Lúdica a parte sobre eurogames e jogos de tabuleiros em geral, algo que ainda está engatinhando por aqui e que me interessa cada dia mais. Já descobri dois blogs bem legais por lá!

O outro agregador é o RPG.blogs, criado pelo Guilherme Moreno, antigo dono do portal SpellBrasil. De acordo com ele:

Depois de 2 anos acompanhando o crescimento na quantidade e qualidade de blogs, principalmente a partir deste ano, resolvi construir um novo projeto, a comunidade RPG.BLOGS. Trata-se de um site que reúne os blogs de todas as pessoas, divulgando apenas uma pequena parte do conteúdo de cada post publicado em cada um deles, ficando assim mais fácil aos interessados por rpg encontrar uma fonte centralizada do que há de novo por aí.

Para quem lê, fica a vantagem de encontrar em apenas um feed as atualizações de toda uma variedade de blogs. Para os blogueiros, a certeza de terem seu conteúdo lido e comentado diretamente em seu site, garantindo assim mais acessos a seu blog.

Já coloquei alguns blogs que acompanhava como afiliados neste início, e aguardo anciosamente o feedback deles e também de outros sites, pessoas e blogueiros que queiram se afiliar e colaborar com esta comunidade.

(…)

O mais importante é que, com o tempo, quero que o site se torne uma comunidade colaborativa entre os blogs e seu público final, e como eu trabalho com internet, estarei sempre também trabalhando em prol do site, ajudando a todos a divulgarem seus blogs e, consequentemente, o rpg, que é o que sempre fiz desde a época da SpellBrasil.

Bom tirando a parte visual bem superior, como foi comentado pelo Nume no .20, não sei exatamente no que o RPG.Blogs se destaca do RPG Brasil criado pelo Tarmann, que apesar de seus eventuais bugs, vem sendo discutido com um feedback bem interessante na lista de blogs. E tendo em vista essa grande similaridade entre os agregadores, acho que cabe uma pergunta feita pelo Nume – para que o mundo precisa de um agregador exatamente igual aos outros? A qual ele mesmo responde adiantadamente ao dizer ” Neste caso sou adepto da política do “quanto mais, melhor”.

Aqui entramos na parte que pode ser definida como “meus resmungos de velho”. Eu não acho que quanto mais melhor, assim como discordo em parte do Moreno quando ele diz:

Para quem lê, fica a vantagem de encontrar em apenas um feed as atualizações de toda uma variedade de blogs. Para os blogueiros, a certeza de terem seu conteúdo lido e comentado diretamente em seu site, garantindo assim mais acessos a seu blog.

Ok, mas e para quem cria um agregador destes e recebe as visitas que originalmente ficariam pulverizadas em dezenas de blogs? Tem alguma vantagem né? Eu não conheço o Moreno, e assim não tenho nem como falar dele. Mas a real é que me parece um pouco estranho que apareça algo assim cheio de planos e pretensões de expansão (de forma bem diferente da Lista Lúdica pelo que entendi) meio do nada, sem um discussão prévia do que já existe, que tenha como objetivo a criação de uma comunidade de blogs, e ainda atrelado a um discurso, que quando surge relacionado a REDE RPG todo mundo adora apedrejar – a idéia do trabalho em prol do RPG. Infelizmente todos esses anos acompanhando o RPG nacional me fizeram desconfiar um pouco de todos que se apresentam como meros instrumentos para fazer o RPG avançar, ainda mais quando uma nova oportunidade de divulgar e bombar os blogs também trás implícita a subida de outro site de RPG junto com o trabalho feito por esse monte de gente.

E sem muitas respostas aqui, mas eu acho que é importante perguntar – será que todo link é bom para nós? Nesse ponto discordo do Nume, que acha que quanto mais melhor. Ok, mais visitas e acessos são legais, fato. Mas a maioria de nós sequer consegue pagar a hospedagem e/ou domínio dos nossos blogs com propagandas e adsenses da vida, e o mais importante, dedicamos umas boas horas por semana para escrever nossas paradas, e por melhor que seja ser lido pelo maior número possível de pessoas, acho que temos alguma responsabilidade por onde nossos textos aparecem e são divulgados, e mais importante, quem ajudamos a ser divulgados com eles.

Eu posso estar sendo meio besta, até porque nunca entendi muito bem o lance da internet 2.0 e tal. Mas eu acho que as coisas tem que vir em duas mãos, e não falo só de acessos. Na minha cabeça uma comunidade não é criada e oferecida, é construída em conjunto. Um portal/agregador não só me bomba com acessos, mas também cresce com a ajuda (ainda que pequena) dos meus posts, e acho uma pergunta válida querer entender exatamente qual a vantagem de outro agregador muito parecido com o que já existe nesta comunidade. Isso não quer dizer que ele não possa ser melhorado ou aperfeiçoado, ele pode e muito, mas colocado de lado sem discussão? Eu acho que não.

Enfim, acho que estamos todos fazendo um trabalho bom demais, sem nenhuma modéstia. E todo bom trabalho gera repercussão e interesse. Nos cabe avaliar até onde estas coisas são interessantes para nós, até quando elas somam ao que estamos construindo e de que forma. Neste caso eu acho que, tirando o layout mais bonitinho, não acrescenta muito. E como disse o Trevisan em uma conversa de MSN sobre o assunto, “por mais que eu não tenha nada contra o Moreno, não quero nada meu associado ao trabalho da Spell por motivos óbvios“. Nem eu cara, mesmo que esta seja uma possibilidade remota para o futuro.

Então por estes vários motivos eu prefiro ficar restrito a Lista Lúdica, que trás novas possibilidades, e ao RPG Brasil, que além de ser pioneiro neste idéia, acredito que seja o agregador que tem mais potencial de crescer em uma verdadeira comunidade dos blogs de RPG.

16 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. Tek disse:

    A gente conhece bem um certo site que queria ser o maior portal de RPG do Brasil. Deu no que deu.

  2. Nume disse:

    Eu acho que a linha divisória é: se algum destes agregadores tentar ganhar dinheiro em cima do que eu produzo, a coisa fica feia.

    Então, enquanto eles existirem com o intuito de redirecionar trafego, tudo tranqüilo. Mas a partir do momento que qualquer um tentar ganhar dinheiro com Adsense ou o caralho a quatro, eu vou bater o pé e mandar eles pararem de indexar o meu blog.

  3. Armageddon disse:

    Mas a partir do momento que qualquer um tentar ganhar dinheiro com Adsense ou o caralho a quatro, eu vou bater o pé e mandar eles pararem de indexar o meu blog.

    Peralá, isso não é meio o oposto do que você vinha pregando até hoje cedo? O RPGOline, por exemplo, ele não apenas copia 100% do teu material e cola no site deles em troca de um link no fim da matéria como também tem um ADsense (e milhões de visualizações mês nas tuas costas) =)

    Foi mais ou menos o que eu comentei um tempo atrás no grupo dos blogs. Até que ponto vale a pena trazer todo o tipo de gente pra ler o que você faz? Em geral até então apenas o povo que curte se manifesta. E quando os chatos começarem a cair sobre a gente? E quando a banda mensal explodir?

  4. Douglas Baiense disse:

    Primeiramente alego que não faço parte de nenhuma destas “facções” do RPG nacional. Sou apenas um rpgista normal que gosta de se interar sobre o mercado.
    Dito isso, posso afirmar que os agregadores são utilitários muito bons, poupam tempo e facilitam muito a vida de quem gosta de acompanhar vários portais ou blogs.Eles são um serviço, uma ferramenta, e não vejo pq os seus criadores não devem ter pretensões quanto a elas.
    Pq não se deve esperar o retorno positivo de algo que se realiza? Pq não se pode pensar em incrementalmente melhorar o serviço para alcançar algum retorno?

    Este sentimento de que os agregadores são como parasitas é um sentimento de mesquinhez, isso pq os agregadores ajudam: os usuários pois lhes poupa tempo, e aos blogs ajuda a trazer visitantes (sempre se acaba descobrindo novas opções interessantes em agregadores). Pq então os agregadores podem ajudar a todos e nao podem ganhar nada com isso? Não podem ter adsense? Claro que podem!
    Em algum momento foi dito algo sobre “mal conseguir pagar a hospedagem”, esta (ideia do pouco retorno) é uma visão restrita da coisa, pois se vc tem um blog que atrai muitas pessoas pq o seu material é muito bom, vc está ganhando em marketing, está obtendo respeito e se tornando uma referencia na área. Uma pessoa reconhecida como competente atrai propostas, isso não é novidade para ninguém.

    Quanto ao pioneirismo do RPG Brasil, parabéns por terem sido os primeiros, mas quando aparecem outras opções o saudosismo não interessa mais a ninguém, apenas a qualidade do serviço prestado interessa. Se o novo agregador por enquanto não possui grande diferencial, pq não pode ter amanhã? Neste caso “quanto mais melhor” sim! Quanto mais opções tivermos, mais possibilidades de alguem buscar um diferencial, buscar inovar e se sobressair. Mas pq alguém vai buscar invovar sendo que não é bom ter pretensões?

    Se todos nos primórdios da internet, pensassem como foi dito pelo Nume aí em cima, empresas como o Google, que investem pesado em uma forma de se encontrar qualquer coisa a partir de um único lugar, simplesmente não teriam dado certo. Salvas as devidas proporções é a mesma coisa.

  5. rsemente disse:

    O comentário que ia fazer estava tçao grande que deu uma matéria: http://guerrasdraconicas.wordpress.com/2008/10/28/resenha-dos-agregadores-de-blogs/
    :P

  6. Saudações.

    Pessoal, só um adendo: o agregador do Moreno não tem nenhuma ligação com a SpellRPG. Se é que essa referência foi feita a ela.

    No mais, acho que a internet é um espaço também democrático. Não acho que devamos ver de maneira desconfiada ou negativa estas iniciativas, mesmo que existam pioneiros. Porque da mesma forma que esforços múltiplos enaltecem algo na internet, eles podem muito bem depreciá-los.

    Um grande abraço.

  7. Nume disse:

    H, a diferença é que na RPG Online eles tem toda uma série de conteúdo próprio. Na real, eles são um site de um serviço, o iRPG, e eu sou o carinha que se aproveita da popularidade deste serviço para conseguir links de qualidade. :D

    Já um agregador não tem nada de conteúdo puramente deles. Mas o rapaz ali em cima de certa forma me convenceu, é bom pra nós, por que não pode ser para eles? Quer dizer, no fim parece ser o mesmo caso da RPG Online, os agregadores são um serviço do qual a gente pode se aproveitar, com o retorno de permitir que eles também se aproveitem de nós. Uma grande suruba (ui!), na verdade.

  8. Armageddon disse:

    ehuehu pois é Nume. Eles não tem conteúdo. Seeee ao invés de apenas uma linha, o título ou sei lá, um parágrafo ele anexasse a matéria inteira como uma espécie de “portal”, ai a coisa seria diferente.

    Mas do jeito que está lá ele é pustamente incompleto, aliás, metade das frases para no meio do caminho. Não tem como o sujeito ganhar muito com isso. Ele só está divulgando. Ver isso como algo negativo é quase como achar que o GoogleReader é ruim por juntar todas as notícias dos blogs que frequento num lugar só sem que o cara acesse meu site em si, clique nos meus links…

    Quanto ao pioneirismo do RPG Brasil, parabéns por terem sido os primeiros, mas quando aparecem outras opções o saudosismo não interessa mais a ninguém, apenas a qualidade do serviço prestado interessa.

    Assino embaixo aqui =)

  9. opiumseed disse:

    Olha só, gente.

    A tal da Web2.0 pode ser vista de duas formas:

    1 – Lado Bom: colaborativa, interacionista, participativa e afins.

    2 – Lado Ruim: gente ganhando dinheiro com conteúdo produzido por outras pessoas.

    É preciso tomar cuidado para mantê-la no lado bom. Eu, particularmente, no modelo em que montei a Lista Lúdica, não vejo a menor necessidade de monetizá-la. Até por que grande parte da monetização que se vende aos quatro ventos pela blogosfera a fora é uma galinha dos ovos de ouro.

    Sites gigantescos, maiores do que qualquer blog (pro ou não) que vocês conheçam não ganham mais do que 7k dolares de adsense. Isso com tráfego na casa dos milhares de acessos, mais de 3 ou 4 vezes o tamanho de um blog realmente grande. Como vocês podem supor, isso não é o suficiente par manter uma empresa, com funcionários e instalações maneiras de forma a manter a qualidade de um serviço com tanto acesso. Outros modelos de negócios menos “hype” e muito mais certeiros são necessários.

    Pouquíssimos players desse modelo realmente ganham um dinheiro que justifique o trabalho, mas vende-se a imagem que qualquer blog pode fazer uma “renda extra” estilo herbalife. A maior parte dos exemplos que eu conheço não chegam a pagar a hospedagem e um chopp.

    Além disso tudo, se eu fosse tentar ganhar dinheiro com a Lista Lúdica ia ter que dar um jeito de reparti-lo com todos os mais de 50 blogs lá cadastrados que são o verdadeiro conteúdo do blog.

    Meu plano é outro. A Lista Lúdica é um produto do Observatório do RPG, meu blog onde mostro o que eu penso e o que eu acho importante falar sobre RPG. Se eu conseguir direcionar tráfego da Lista para o meu blog, tem mais gente lendo o que eu acho que deve ser lido sobre RPG e, com isso, vou estar ajudando a construir uma visão diferenciada do que são os jogos de representação.

    Se no futuro eu lançar outros produtos pelo Observatório, sejam eles revistas, pdfs, sistemas, ambientações ou o que for relativo ao RPG, já tenho uma imagem sólida no mercado como alguém que presta serviços para a comunidade.

    Isso é investimento em imagem.

    Grande abraço a todos!

  10. Rocha disse: (Author)

    Ei Douglas, legais suas observações, seja bem vindo!

    Primeiramente alego que não faço parte de nenhuma destas “facções” do RPG nacional. Sou apenas um rpgista normal que gosta de se interar sobre o mercado.

    Bom se eu pertenço a alguma “facção” é a minha! No mais também acho que sou um jogador que gosta de se inteirar sobre o mercado, e justamente por isso criei esse blog : )

    Dito isso, posso afirmar que os agregadores são utilitários muito bons, poupam tempo e facilitam muito a vida de quem gosta de acompanhar vários portais ou blogs.Eles são um serviço, uma ferramenta, e não vejo pq os seus criadores não devem ter pretensões quanto a elas. Pq não se deve esperar o retorno positivo de algo que se realiza? Pq não se pode pensar em incrementalmente melhorar o serviço para alcançar algum retorno?

    Concordo plenamente, os agregadores são ferramentas excelentes e eu fiquei muito entusiasmado com o surgimento tanto do agregador gringo como do nacional como você pode ver aqui:

    https://www.areacinza.org/2008/09/agregadores-por-todos-os-lados/

    https://www.areacinza.org/2008/08/e-a-rede-de-blogs-de-rpg-nacional/

    https://www.areacinza.org/2008/08/rede-de-blogs-de-rpg/

    Acho que me expressei mal – o problema não é ter pretensões, eu tenho algumas pretensões aqui para o AC, normal. O lance é que me pareceu como um projeto de uma grande comunidade de blogs, o que convenhamos, precisa primeiro destes mesmos blogs para acontecer né? Como eu disse no post, eu posso estar sendo meio retrógrado/utópico, mas uma comunidade real se constrói e não é dada assim.

    Este sentimento de que os agregadores são como parasitas é um sentimento de mesquinhez, isso pq os agregadores ajudam: os usuários pois lhes poupa tempo, e aos blogs ajuda a trazer visitantes (sempre se acaba descobrindo novas opções interessantes em agregadores). Pq então os agregadores podem ajudar a todos e nao podem ganhar nada com isso? Não podem ter adsense? Claro que podem!

    Acho que você disse isso pro Nume, e até concordo com você, os agregadores podem sim ter propaganda, patrocinadores, o que for. Mas o lance é que querendo ou não, eu acho que é algo que, se não é construído pelos blogs, pelo menos em parte acontece pelos nossos esforços. E nesse sentido eu não sou contra um portal/agregador destes ter propagandas, mas como eu entendo que uma pequena dos acessos vêm devido ao meu material, acho válido perguntar se eles realmente acrescentam algo a comunidade, estão desenvolvendo algo que me interessa, se já existe algo do tipo sendo feito…

    Em algum momento foi dito algo sobre “mal conseguir pagar a hospedagem”, esta (ideia do pouco retorno) é uma visão restrita da coisa, pois se vc tem um blog que atrai muitas pessoas pq o seu material é muito bom, vc está ganhando em marketing, está obtendo respeito e se tornando uma referencia na área. Uma pessoa reconhecida como competente atrai propostas, isso não é novidade para ninguém.

    Claro, não só concordamos como acho que ninguém que lê isso aqui discorda de você neste ponto. Ninguém cria um blog de RPG pela grana, é algo absolutamente inviável. As propostas de trabalho podem até surgir, mas o lance é que eu faço isso por diversão, é um bom hobby escrever sobre o que se gosta, e acredito que este seja o caso da esmagadora maioria dentre quem mantêm um blog de RPG.

    Mas não é porque faço por diversão que não vou valorizar meu trampo. Neste caso, novamente acho válido questionar sobre os locais onde ele aparece, e não aceitar uma idéia meio na linha “do que vier é lucro”. Atualmente eu não gostaria de ver um post meu na REDE RPG por exemplo, e sei de muitos aqui que também se sentiriam da mesma forma, já que é um portal no qual já tivemos problemas. É disso que estou falando também.

    Quanto ao pioneirismo do RPG Brasil, parabéns por terem sido os primeiros, mas quando aparecem outras opções o saudosismo não interessa mais a ninguém, apenas a qualidade do serviço prestado interessa. Se o novo agregador por enquanto não possui grande diferencial, pq não pode ter amanhã? Neste caso “quanto mais melhor” sim! Quanto mais opções tivermos, mais possibilidades de alguem buscar um diferencial, buscar inovar e se sobressair. Mas pq alguém vai buscar invovar sendo que não é bom ter pretensões?

    Pô Douglas, saudosismo se eu estivesse falando de outro agregador nos primórdios da internet, tipo em 95 ou até em 2000. O RPG Brasil foi criado em Agosto! Tem dois meses!!! Isso é saudosismo? Nesse ponto eu discordo, se os agregadores são tão bons e úteis assim para a comunidade de blogs, porque não apostar no que já existe e está funcionando? Sei lá, posso ser um velho paranóico, mas eu acho um pouco estranho esse movimento, ainda mais quando o trabalho dos blogs está ficando cada vez melhor e mais bombante.

  11. Douglas Baiense disse:

    Obrigado pelas boas vindas Rocha, apesar de eu nao comentar estou sempre por aqui bisbiolhatando, muito bom o seu blog :D

    Falei sobre as facções para não parecer que meu comentário foi tendencioso, não foi meu intuito acusá-lo de pertencer a alguma (não acho que seja o caso). (mas que existem facções existem! )

    Voltando ao assunto, eu acho que um pouquinho de cautela (como pregou o Rocha) não faz mal a ninguém, porém achei que o pessoal por aqui estava muito na defensiva quanto às novas possibilidades, que eu acredito podem ser muito positivas.

    Sobre o “saudosismo”, tudo bem vai, saudosismo soa um pouco forte pra este caso, mas tentei falar de forma mais geral naquele momento.

    Nesse ponto eu discordo, se os agregadores são tão bons e úteis assim para a comunidade de blogs, porque não apostar no que já existe e está funcionando?

    Eu acho importante apoiar o que já existe mas sem protecionismo. Isso pq amanhã pode aparecer alguém com uma idéia inovadora para melhorar nossas vidas, mas não vai ser ouvido pq já existe algo que funciona. (mais uma vez estou generalizando)

  12. Tek disse:

    Acho que meu comentário pode ter sido mal interpretado, só pra constar eu estava falando do grande portal (quase abandonado) ao qual o Rocha se referiu, e que uma parte da galera dos blogs já teve problema.

  13. dephlas disse:

    Opa. Nem sei se essa discussão ainda rola. Vou me intrometendo aqui sem ser chamado mesmo hehehe.
    Descobri esse blog agora e gostei muito do que vi. Textos bem escritos [isso é uma verdadeira raridade], discussão embasada e, acima de tudo, aberta.
    Claro que os agregadores são ferramentas que “podem” ser úteis a todos. Assim como podem ser úteis a apenas alguns e esse é que, acho eu, é o problema. É óbvio que quem tem um blog legal, com boa participação e etc, fica meio preocupado com a utilização dele por outros. Mas aí entram muitas observações:
    -tem gente que tem blog e realmente não quer nada com isso. Não quer ganhar dinheiro com ele, por exemplo e, portanto, não quer que ninguém o faça, ao menos não com o blog dele.
    -tem uns que pensam em dinheiro e acham injusto outros agregarem-digo arregarem pura e simplesmente, “mamando na teta”.
    -entre tantas outras
    O problema quando entra dinheiro na parada é a justiça. Uns acham que deveriam ganhar mais, ou que outros estão ganhando mais, enfim: “tá injusto isso aí!”
    Mas, na internet, que é o maior sinônimo de liberdade [e impunidade] da atualidade, como se pode controlar/regulamentar isso? não pode.
    Exigir “participação nos lucros” dos agregadores? Isso os faria querer os mesmo dos blogs, correto?
    Creio eu que a única maneira de garantir que essa relação simbiótica, agregador[ou qualquer outro serviço]/blog[ou qualquer outro produtor de conteúdo], seja justa e benéfica a ambos os lados, é com discussões e conversas como esta. Isto sim, garante que os usuários, que são os grandes responsáveis pela existência de blogs, agregadores e todo o resto, fiquem sabendo das coisas, tenham canal para perguntar e ter respostas, enfim, pensem. Percebam e aprendam quem produz e quem disponibiliza, quem produz coisa boa ou coisa ruim, que distribui coisa boa ou ruim.
    As pessoas é que regulamentam, escolhendo o que digitar depois do “www”.

  14. Tsu disse:

    Pois é, também olhei com desconfiança para estes agregadores, principalmente pela possibilidade do dono do agregador monetizar a coisa e querer dar uma de esperto. (E também pq descobri o agregador do Tarmann pelo google antes dele anunciar na lista de mails e fiquei imaginando o que seria aquilo. Mas conheci ele e vi q era gente boa)

    Haveria alguma forma de impedirmos que determinados agregadores puxem nosso feed caso tentem nos explorar?
    Mas reconheço que eles têm ajudado na interação entre os blogs e facilita o lado do leitor.

Trackbacks for this post

  1. Resenha dos Agregadores de Blogs « Pergaminhos Dourados
  2. Devaneios 3: 1.000 Visitas! (e dois meses de blog e quatro dias) « Pergaminhos Dourados

Comments are now closed for this article.