O fim do D&D Miniatures

O D&D Miniatures subiu no telhado… Esta semana a Wizards anunciou (de maneira bem truncada e estranha) o fim não só das miniaturas completamente randômicas, mas do próprio jogo D&D Miniatures, ou seja o popularmente conhecido skirmish.

O modelo atual de coleções trimestrais de 60 miniaturas randômicas em boosters com 8 peças cada será abandonado após o lançamento da coleçao Demonweb em Novembro. Em 2009 teremos o início do novo modelo de venda de miniaturas, com menos peças no total, menos peças nos boosters e mais caro:

Launching in Spring 2009, the first D&D Heroes series features six different packs (18 figures total):

  • Martial Heroes 1
  • Martial Heroes 2
  • Arcane Heroes 1
  • Arcane Heroes 2
  • Divine Heroes 1
  • Primal Heroes 1

Each package contains 3 PC minis: 2 males and 1 female, and 3 unique power cards featuring brand new class powers. All three of the figures in the package will be visible so you’ll know exactly which pack to pick for your game.

Esses pacotinhos de três miniaturas vão sair por $10,99 e serão totalmente visíveis – você vai poder escolher quais miniaturas quer levar para casa, o que é uma tremenda vantagem para os jogadores de RPG que querem as miniaturas apenas para suas mesas de jogos. Outro tipo de boosters serão os de monstros, com 5 miniaturas por $14,99 e no formato semi-randômico – com 1 miniatura visível, e 4 não visíveis, sendo 1 rara, 1 incomum e 2 comuns, todas com suas respectivas power cards.

E sobre o fim do skirmish, Scott Rouse, o arauto oficial das más notícias da Wizards escreveu um artigo que explica mais a fundo as mudanças:

What does this mean for the skirmish game?

Wizards of the Coast has chosen to concentrate its D&D miniatures-creation efforts on an accessory line optimized for D&D Roleplaying Game use. November’s release of Demonweb will be the last new set that includes skirmish statistics. We will continue to update all miniatures stats from previous sets to the current D&D Miniatures ruleset as promised, with the conclusion of that process scheduled for mid-2009.

In addition, official sanctioning of D&D Miniatures skirmish events will cease right after D&D Experience in February. We hope to see skirmish play continue at the grassroots level, using the hundreds of miniatures produced for the game over the past six years and encouraged by the passionate fan sites that exist for the D&D Miniatures skirmish game.

The skirmish game has many dedicated fans, and we appreciate the years of enthusiastic support that these players have shown to the line. Unfortunately, despite this enthusiasm, the number of skirmish players has been dropping steadily over the past couple of years. We had hoped that improvements implemented during 2007 and 2008 would change that trend, but they have not accomplished enough toward that end. At this point, we can no longer justify the design, development, and production resources required to support the skirmish game.

Já disse isso antes uma porrada de vezes, mas o D&D Miniatures só se sustentava por causa do RPG, já que o público de jogadores de skirmish sempre foi mínimo. E na real é o fim do jogo. Mesmo no super fórum de D&D Miniatures nacional as pessoas estão anunciando que vão parar de jogar, e até os mais “sangue nos olhos” que continuarem jogando não serão suficientes para atrair novos jogadores, o que não vai renovar a comunidade e será a morte definitiva da parada. Uma pena mesmo.

A parada pode ser vista de duas formas – do ponto de vista do jogador de RPG e do jogador de DDM, e é um saco estar nestes dois lugares desta vez. Do ponto de vista do jogador de Dungeons & Dragons teoricamente é um boa notícia, afinal comprar boosters randômicos esperando uma ou outra miniatura legal que viu na lista de peças da coleção é absurdo. Deste ponto de vista, escolher que miniaturas comprar é um grande avanço. Mas ai entra a questão do preço.

Por mais irritante que o modelo randômico seja, ele possibilitava custos mais baixos em geral. Uma miniatura cara para ser produzida, tipo um beholder malucão de fogo ou o cubo gelatinoso, sempre era rara, e no fim das contas os custos baixos de outras peças (obviamente comuns e incomuns) compensava a produção das peças mais caras e elaboradas. Então a mudança de preços neste novo modelo é gritante, só acompanhar a comparação dos boosters novos com os velhos:

Boosters antigos:
$15.00 por 8 miniaturas = $1.88 por miniatura

Boosters novos “D&D Heroes”:
$10.99 por 3 miniaturas = $3.66 por miniatura
Aumento de 94% por miniatura.

Boosters novos “D&D Monsters”:
$14.99 por 5 miniaturas = $2.99 por miniatura
Aumento de 59% por miniatura.

Isso tudo sem contar o mercado secundário. Ok, podia ser um saco ter que comprar um booster para tira um (ou nenhum orc ou elfo), mas na real, e-bay e outros lugares da vida estão ai para isso, com preços bem módicos. Não é segredo que na gringa é possível comprar miniaturas comuns por $0.25, algumas bem legais mesmo. Então este aumento de preço ferra bastante a melhoria para os jogadores de RPG a meu ver, já que os mais espertos e que querem miniaturas oficiais acabam dando seu jeito de conseguir o que desejam sem precisar de gastar centenas de dólares em boosters. E na real, o aumento de preços das novas minis será repassado para o mercado secundário, óbvio. Então acho que será impossível encontrar as peças destas novas coleções por menos de $1.00, até as mais comuns nos maiores leilões do e-bay.

E como jogador de D&D Miniatures, o que dizer? Fiquei bem puto com o cancelamento, é uma sensação estranha despender incontáveis horas e grana com algo que subitamente é deixado de lado e que eventualmente vai ser parado de jogar. A real é que a mudança do DDM 1.0 para o 2.0, embora tenha sido benéfica do meu ponto de vista, afinal aproximou as regras do jogo as do D&D 4ª edição, foi um grande golpe nos jogadores, que se já eram poucos, começaram a cair vertiginosamente. Um pena mesmo, logo atualizo minha lista de miniaturas a venda e me desfaço de praticamente tudo, exceto o que for usar em minhas mesas de RPG.

Para finalizar um post do Andy Collins nos fóruns da Wizards, em uma resposta a um jogador que explicita de maneira até meio perturbadora tudo que praticamente todo mundo diz – A WotC é uma empresa, tem que dar lucros e por ai vai.

Originally Posted by DarthTorment
Something else I am curious about as well….
How difficult would it be for WOTC to stat these minis for 2.0 Skirmish and just post the PDFs for them? Not print actual cards? Was this option ever on the table at all as a means to retain this demographic of players that play Skrimish exclusively?
Yes, it was absolutely discussed. Many times. By many people, myself included.

While the numbers aren’t trivial, it’s not about how many hours or dollars it costs to produce the online stats. Ultimately, this is a simple zero-sum equation.

Every minute that a designer, developer, editor, typesetter, graphic designer, or web specialist spends getting a set of stats to the website is a minute they’re not spending on another product.

If those minis stats are going to make the company more money than that other product, it might well be a good idea.

But if I can use those folks on a different, more profitable project–say, a D&D sourcebook, or an RPG-focused minis product–I’m obligated as a responsible member of WotC management to support their reassignment.

Yup, that’s cold and heartless. But any other decision leads to me AND those folks looking for new jobs when the company’s bad business practices leads to layoffs or bankruptcy. I’m not particularly interested in exploring that eventuality.

I realize there’s going to be a lot of venting on this topic over the coming days, weeks, and months. I’m not trying to stop people from being frustrated. I’m just trying to provide a little more illumination behind the extremely difficult decisions we’ve made about this line over the past few months, and I hope that’s helpful.

Andy Collins
RPG Development & Editing Manager
Wizards of the Coast, Inc.

9 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. C disse:

    Para os jogadores de D&D parece ser melhor a matemática, já uqe é mais negócio pagar 3 e pouco por uma miniatura que eu vou usar do que pagar 1 e pouco por varias miniaturas (ou todas) que só vão fazer numero…

    Como jogador de D&D eu tenho um temor bem guardado lá no fundo a algum tempo que um dia essa mensagem se repita com o D&D em relação as cartas de Magic (que são a principal fonte de renda da WotC, afinal de contas), imagino como deva ser horrivel

    Seja como for é uma pena, mas no lugar da WotC eu não vejo realmente o que eu faria diferente…

  2. Bocão disse:

    Ouch!

    DDM agora vai virar jogo sustentável por fans como Spellfire. Imagino que as vendas de Demonweb serão bizarramente baixas.

  3. Cassaro disse:

    “A WotC é uma empresa, tem que dar lucros e por ai vai.”

    Bom, também era uma empresa no ano 2000, quando nos trouxeram a 3a Edição, o Sistema D20 e a OGL, não era?

    Eventualmente o tempo acaba provando que eu tenho razão.

  4. Raul disse:

    Não sei se Magic está tão bom assim das pernas também. Eu tenho notado que as coleções tem piorado a cada lançamento, está faltando criatividade em um espaço que já está ficando inegavelmente saturado. Fora que as cartas estão chegando a preços insanos.
    Mas como o assunto aqui não é Magic, deixe-me voltar as miniaturas. Não sei como está sendo a reação do público lá fora, mas eu vejo que os jogos de miniaturas no Brasil tem preços muito elevados, e pagar cerca de 40 ou 50 reais por 3 miniaturas é algo impraticável ao meu ver. Comprei os livros da 4ª edição e pretendo usar marcadores no lugar de miniaturas, ou como o Rocha comentou, comprar aquelas de baixo custo em sites de leilão.
    Sobre o fim do skirmish, eu acho uma pena, porque era um jogo interessante, pessei pela mesma experiência com o fim de Mage Knight. O jogo pode até durar mais um tempo sendo jogado pelos fãs, mas a tendência é, aos poucos, cair no esquecimento, porque é dificil organizar torneios e jogos sem o suporte de lojas e lugares especializados.

  5. Chuck disse:

    A Wizards é mesmo uma empresa na qual podemos confiar heim?

  6. Barba disse:

    A Wizards é mesmo uma empresa na qual podemos confiar heim?

    A Wizards era uma empresa confiável, gerida por gente que joga RPG e games. Desde a compra pela Hasbro e da grande demissão em massa pós 3a edição a coisa mudou de figura. É triste ver que a tática “dragon magic” de marketing além de retardada está se provando falha.

  7. balard disse:

    Segundo os caras, o DDM tava mal das pernas ANTES da mudança de regras. A mudança pro 2.0 não ajudou, mas não foi ela q matou. Acho que eles fizeram bem. A maior reclamação sobre o DDM, é que por mais q a wizards tentasse entubar o treco como apoio pro rpg, era muito, muito caro vc descolar as peças sem jogar skirmish. Agora eles ouviram os principais consumidores(os de RPG) e vão produzir pra eles, com as peças a vista e tudo. Eu comentei sobre o evento tb no meu blog. Só acho q podia tudo ser visível e acabar com a porcaria da randomização.

  8. rsemente disse:

    Sobre os preços da minis talvez não seja tão ruim, pois Algumas miniaturas chegam a preço muito caro, principamente criaturas poderosas, como dragões, beholders, liches, assim como hérois mais épicos (Skullclearver).
    Mas se o jogo vinha entrando em decadencia… claro, tudo em detrimento do que dá mais lucro.
    Agora se abre um nicho para outras empresas.

  9. Marcelo disse:

    A decadência começou quando o Rocha começou a jogar!

Comments are now closed for this article.