Primeiras informações sobre o Martial Power

Sai este mês o Martial Power, primeiro livro da série Power, que acredito que sejam os equivalente dos Completos no Dungeons & Dragons 4ª edição, com uma tonelada de novas opções mecânicas focadas em determinados tipos de personagem por livro. O usuário Bagpuss da ENWorld já tem o livro em mãos e respondeu em um tópico uma série de perguntas sobre as novidades para guerreiros, warlords, rangers e ladinos. Aliás, cada uma destas classes tem um capítulo próprio com novos builds, habilidades de classe, talentos e paragon paths, e o quinto e último capítulo se chama Martial Options, com talentos de multiclasse para outras classes e 10 novos destinos épicos, que são:

Adamantine Soldier
Beastlord
Dark Wanderer
Eternal Defender
Godhunter
Legendary General
Martial Archetype
Perfect Assassin
Undying Warrior
Warmaster

Os nomes estão estilosos pelo menos – Godhunter? Perfect Assassin? Parece divertido… Os nomes dos builds (e a descrição dada pelo Bagpuss) são:

Battlerager Fighter (Big brutal hitter)
Tempest Fighter (Two weapon Fighter)
Beastmaster Ranger (Beast Companion)
Aerialist Rogue (Fast moving)
Cutthroat Rogue (Intimidating rogue)
Bravura Warlord (Risky and Aggressive Tactics)
Resourceful Warlord (Exploits opponents weaknesses)

O capítulo do guerreiro parece ser o mais recheado de todos, e dentre a aparentemente enorme lista de novos poderes existe nada mais nada menos que 4 novos poderes at-will, 6 novos poderes por encontro de 1° nível e 5 diários, em um total de 15 poderes apenas de 1° nível! Rangers e warlords recebem cada um 2 novos poderes at-will, e o pobre ladino apenas um, o que faz uma bela diferença, já que os poderes at-will do 1° nível são basicamente a fonte das principais inovações mecânicas nas classes.

Dentre os diversos poderes de todos os níveis, existem 3 novas palavras-chave:

Invigorating – poderes que fornecem Pontos de Vida temporários se acertar o ataque, mas apenas se o personagem for treinado na perícia Endurance.
Rattling
– poderes que causam uma penalidade na jogada de ataque do inimigo se você for treinado em Intimidate.
Beast
– poderes que precisam de uma beast companion para serem usados. Muitas vezes causam dano [B] ao invés de [W].

Falando nos companheiros animais do beastmaster, o nosso amigo Bagpuss mandou uma monte de informações interessantes sobre eles. Como já sabíamos, os animais são descritos em categorias abrangentes (urso, javali, gato, lagarto, raptor, serpente, aranha e lobo) que não tratam de animais específicos, mas de grupos de animais semelhantes.então seu lagarto pode ser um crocodilo ou uma salamandra, em termos de mecânicas ambos terão as mesmas estatísticas de ataque e defesas, que variam seguindo a fórmula X + nível do ranger, onde X é um número que varia de acordo com a categoria do  animal. Fora isso, existe pouca diferença dentre as categorias de animais, exceto que alguns poderes funcionam melhor com alguns animais, como visto no preview do beastmaster.

Como muita gente esperava, os companheiros animais não dão mais ações extras para o ranger -por exemplo, um ataque beast, ou seja, que envolve a criatura é uma ação padrão, então o ranger fica sem atacar diretamente naquela rodada. E por ai vai.

Por último, mas não menos importante, parece que todo o material do Martial Power é inédito (exceto é claro o que foi visto nos previews!), nada foi reaproveitado das matérias da Dragon ou Dungeon, nem mesmo o que foi visto no excelente artigo sobre os gladiadores. Isso é uma enorme mudança para os tempos da 3ª edição, onde cada livro tinha em média 25% de material já apresentado, ou como conhe4cido popularmente “requentado”, e parece que é uma estratégia de valorizar mesmo a assinatura do D&D Insider – afinal já que você esta pagando, que seja por material exclusivo. Nesse ponto tenho que reconhecer que mandaram muito bem.

Pelo tópico na ENWorld parece que o Martial Power é exatamente o que se espera dele – um livro recheado de opções, talentos e poderes para as classes mais porradeiras, que trás novas mecânicas e possibilidades que parecem muito interessantes. Fica a dúvida se depois que sairem os três livros da série Power, o problema do engessamento e falta de opções dos personagens da 4ª edição será solucionado, ou pelo menos remediado, já que o sistema tem se mostrado muito mais coeso e fechado que o da 3ª edição.

3 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. Daniel Anand disse:

    Vamos torcer para o dólar dar uma baixada! :)

  2. rsemente disse:

    Parece um suplemento indispensavel para quem joga D&D 4E. Mas Acho que a divisão por Powers é meio desigual, pois o guerreiro foi o grande presenteado (e o ranger não ficou muito atraz, mas o rogue se f…).

    Acho que deveriam ter livros pelo papel, defender/striquer/leader/controler assim as regras do livro poderia ser mais bem focado, fazend a equipe pensar de forma similar para todas as classes abordadas e não pensar de forma dividida e tendenciosa como parece ter acontecido.

  3. Rey Ooze disse:

    Ou o dolar baixa ou serei forçado a baixar eu mesmo (sacaram? hein ? hein? hein?)

    Rocha, seu blog cada vez melhor. Parabens!

Comments are now closed for this article.