Sai a versão revisada da GSL – Parte 2

Bom depois de fazer uma breve revisão da novela de mais de um ano de duração que envolveu a licença do Dungeons & Dragons 4ª edição, dar uma boa lida naversão revisada da Game System License lançada na última segunda, e de acompanhar um monte de blogs efóruns onde ela esta sendo discutida, é hora de comentar a revisão na GSL. Será que esses 7 meses de espera valeram a pena? Vou copiar e colar algumas passagens que considero interessantes na licença, mas vale lembrar que não sou advogado e tenho zero conhecimento em leis de direitos autorais ok? Palpites de freqüentadores do blog e profissionais da área são bem vindos!

(O trabalho de identificar as mudanças entre a versão original e a revisada da GSL foi incrivelmente facilitadopelo PDF feito pelo cara do blog Stirges Suck comparando as versões. Obrigatório para quem quer acompanhar as modificações da licença!)

A primeira mudança significativa aparece no segundo item da GSL:

2. Updates or Revisions to License. Wizards may update or revise the License at any time in its sole discretion by posting the updated License on its website page located at http://www.wizards.com/d20. Wizards will indicate on the License the date it was last updated. Licensee is responsible for checking the License regularly for changes, and waives any right to receive specific notice of changes. Licensee’s continued use of any Licensed Materials (as defined below) after the “Last Updated” date above, including without limitation any publication or distribution of Licensed Products (as defined below), confirms Licensee’s acceptance of any changes to the License and Licensee shall be bound by such revised terms. If Licensee does not accept such changes, the License will terminate pursuant to Section 10.1.

O trecho marcado é novo, adicionado na versão revisada, e garante o fim da licença se a outra parte discordar de alguma das futuras mudanças e revisões na GSL feitas pela WotC. Ok, isso é básico, mas mesmo assim não estava na GSL original, ou seja, antes você assinava a parada e ia com ela até o fim, independente das mudanças feitas na licença pela Wizards.  E sim, a GSL original era ruim mesmo…

No item 4, que trata das referências, um novo sub-item foi adicionado, o 4.3, que fala das imagens:

4.3 Imagery. Except as expressly provided in Section 5.7, Licensee may utilize imagery and artwork contained in 4E solely to independently create and publish 2-D pictorial derivative works (“Derivative Imagery”) in a Licensed Product.

Ok, novamente isso parece até meio retardado, mas na versão revisada da GSL eles tiveram que colocar uma cláusula permitindo a criação de arte e imagens (2D!) derivadas das apresentadas nos livros da 4ª edição. Se antes eles podiam (teoricamente é claro) te processar por fazer um orc ou um elfo muito parecido com os doMonster Manual, agora essa bizarrice não acontece mais. Ainda assim existem algumas exceções, como aliás existia também na OGL, que são explicitadas no item 5.7:

5.7 Imagery. For the avoidance of doubt and in addition to the provisions of Section 9 related to ownership and use of Wizards Intellectual Property (as defined therein), Licensee expressly acknowledges Wizards’ ownership of all imagery and artwork contained in 4E, and Licensee expressly agrees it will not reprint any such imagery or artwork without Wizards’ written permission. In addition, and without limiting the foregoing, Licensee will not reprint, publish, use, nor create Derivative Imagery of, any of the following proprietary characters (whether from 4E or any other products published by Wizards or TSR, Inc.): Balhannoth, Beholder, Carrion Crawler, Displacer Beast, Gauth, Githyanki, Githzerai, Kuo-Toa, Mind Flayer, Illithid, Slaad, Umber Hulk’ and Yuan-Ti.

Vários destes, como o Beholder e Mind Flayer já eram monstros exclusivos da WotC, mas se não me engano existiam um monte de “versões variantes” de outras editoras que inclusive usavam claramente as imagens dos originais como referência. Vamos ver como isso vai ficar daqui para frente…

Uma grande mudança aparece no item 5.2:

5.2 Licensed Products Legal Text. Within the first three (3) non-cover pages of all Licensed Products, and, where practical, together with any other legal text supplied by Licensee, Licensee will include the following statements in at least ten-point font: DUNGEONS & DRAGONS, the DUNGEONS & DRAGONS Compatibility Logo, D&D, PLAYER’S HANDBOOK, PLAYER’S HANDBOOK 2, DUNGEON MASTER’S GUIDE, MONSTER MANUAL, MONSTER MANUAL 2, and ADVENTURER’S VAULT are trademarks of Wizards of the Coast in the USA and other countries and are used with permission. Certain materials, including 4E References in this publication, D&D core rules mechanics, and all D&D characters and their distinctive likenesses, are property of Wizards of the Coast, and are used with permission under the Dungeons & Dragons 4th Edition Game System License. All 4E References are listed in the 4E System Reference Document, available at www.wizards.com/d20. DUNGEONS & DRAGONS 4th Edition PLAYER’S HANDBOOK, written by Rob Heinsoo, Andy Collins, and James Wyatt; DUNGEON MASTER’S GUIDE, written by James Wyatt; and MONSTER MANUAL, written by Mike Mearls, Stephen Schubert and James Wyatt; PLAYER’S HANDBOOK 2, written by Jeremy Crawford, Mike Mearls, and James Wyatt; MONSTER MANUAL 2, written by Rob Heinsoo, and Chris Sims;
Adventurer’s Vault, written by Logan Bonner, Eytan Bernstein, and Chris Sims. © 2008, 2009 Wizards of the Coast. All rights reserved

Foram adicionados na GSL e SRD elementos do Player’s Handbook 2Monster Manual 2, e Adventurer’s Vaultpara serem utilizados pelas outras editoras. No entanto não é tudo destes livros que esta liberado – no caso do PHB2 foram principalmente as raças (Gnomo, Meio-Elfo, Meio-Orc) e classes (Bárbaro, Bardo, Druida e Feiticeiro) e alguns monstros do MM2.

Mas a grande modificação que a versão revisada da GSL trouxe foi a exclusão completa do item 6, que tratava (ou impedia) a conversão dos materiais já publicados sob a antiga OGL, e a criação de novos livros utilizando ambas as licenças:

6.1 OGL Product Conversion. If Licensee has entered into the “Open Gaming License version 1.0” with Wizards (“OGL”), and Licensee has previously published a product under the OGL (each an “OGL Product”), Licensee may publish a Licensed Product subject to this License that features the same or similar title, product line trademark, or contents as such OGL Product (each such OGL Product, a “Converted OGL Product”, and each such Licensed Product, a “Conversion”). Upon the first publication date of a Conversion, Licensee will cease all manufacturing and publication of the corresponding Converted OGL Product and all other OGL Products which are part of the same product line as the Converted OGL Product, as reasonably determined by Wizards (“Converted OGL Product Line”). Licensee explicitly agrees that it will not thereafter manufacture or publish any portion of the Converted OGL Product Line, or any products that would be considered part of a Converted OGL Product Line (as reasonably determined by Wizards) pursuant to the OGL. Licensee may continue to distribute and sell-off all remaining physical inventory of a Converted OGL Product Line after the corresponding Conversion is published, but will, as of such date, cease all publication, distribution and sale (and ensure that third party affiliates of Licensee cease their publication, distribution and sale) of any element of a Converted OGL Product Line in any electronic downloadable format. For the avoidance of doubt, (a) any OGL Product that is not part of a Converted OGL Product Line may continue to be manufactured, published, sold and distributed pursuant to the OGL; and (b) this Section 6.1 will survive termination of this Agreement.

6.2 No Backward Conversion. Licensee acknowledges and agrees that it will not publish any product pursuant to the OGL that features the same or similar title, product line trademark, or contents of a Licensed Product.

6.3 Licensee Termination. In the event that any portion of a Converted OGL Product Line is manufactured or published by Licensee, or a third party affiliated with Licensee, after the first publication date of a Conversion, Wizards may immediately terminate this License upon written notice.

Essa cláusula, chamada de carinhosamente de “poison pill” foi a grande responsável pela não adoção da GSL por grande parte das editoras que já publicavam material de suporte ao D&D. Afinal, para que entrar em algo novo e cheio de obstáculos legais nebulosos, se isso ainda por cima implicava em abrir mão de todos os seus produtos e linhas que já tinham uma base de fãs? A 4ª edição pode ser grande, mas não o suficiente para deixar todo o mercado criado e alimentado por essas editoras para trás, e por isso a Necromancer, Green Ronin e várias outras decidiram não assinar a GSL original.

Agora as editoras não tem mais que optar entre a OGL e a GSL, e podem publicar versões da 4ª edição para seus livros clássicos (desde que sigam as outras regrinhas da GSL) e fazer lançamentos simultâneos para a 3ª e 4ª edições do D&D. Talvez isso tenha vindo um pouco tarde demais para algumas editoras, mas definitivamente é melhor tarde do que nunca neste caso. Esta foi a maior e mais positiva mudança da GSL na minha opinião (e acho que na de todo mundo).

Outra mudança crucial foi feita no item 11, que trata do fim do acordo entre as partes sobre a licença:

10.1 Termination. Wizards may terminate this License and the rights granted hereunder automatically upon written notice to Licensee or upon posting on its website a termination of the GSL as applied to all licensees. Licensee may terminate its license hereunder for any reason (other than its own breach of the terms of this License) by either (a) ceasing all use of Licensed Materials, or (b) delivering to Wizards an executed “Termination Notice” as presented in the file “Termination.pdf” that is available for download at http://www.wizards.com/d20 (“Termination Notice”).

10.3 Effect of Termination. Upon termination for any reason other than a termination resulting from Licensee’s delivery of a valid Termination Notice, Licensee will immediately cease all use of the Licensed Materials and will destroy all inventory and marketing materials in Licensee’s possession bearing the Compatibility Logo. Licensee will remove the Compatibility Logo from all advertising, web sites, and other materials. Licensee will solely bear all costs related to carrying out this provision (in addition to any other provision) of the License. Wizards may, in its sole discretion and upon written agreement between Wizards and Licensee, extend this License for those Licensed Products that otherwise comply with the terms of this License. Upon termination resulting from Licensee’s delivery of a valid Termination Notice, Licensee will have six (6) months from the date listed on the Termination Notice (“Termination Date”) to use (as authorized hereunder) all Licensed Products, and advertisements for Licensed Products, in Licensee’s possession as of the Termination Date. Licensee may not produce new Licensed Products (including without limitation, reprints of existing Licensed Products), nor other authorized materials with the Compatibility Logo after the Termination Date.

Como já dito aqui, antes só a Wizards podia terminar o contrato da licença, o que era surreal. Agora não só a outra parte pode terminar o contrato (duh!), como também tem seis meses para cessar a venda dos produtos feitos através da GSL. Antes a WotC obrigava o fim imediato das vendas caso o contrato fosse encerrado, e este prazo de 6 meses é uma forma bacana de apontar que o objetivo não é ferrar com as editoras caso role alguma mudança mais profunda na licença.

Essas foram as principais mudanças da nova GSL. No entanto alguns outros pontos importantes, e que merecem serem comentados, permaneceram iguais. As marcações em negrito daqui para frente são de pontos que considero cruciais:

3. Licensed Products. The  license  granted  in  Section  4  is  for  use  solely  in  connection  with Licensee’s publication, distribution, and sale of  roleplaying games and  roleplaying game supplements  that contain  the Licensed Materials and are published  in a hardcover or soft-cover printed book  format or  in a single-download electronic book format (such as .pdf), and accessory products to the foregoing roleplaying games  and  roleplaying  game  supplements  that  are  not  otherwise  listed  as  excluded  in Section  5.5 (“Licensed Products”).

5.5 Licensed Products. This License applies solely to Licensed Products as defined in Section 3 and to the specified uses set forth in Section 4. For the avoidance of doubt, and by way of example only, no Licensed Product will (a) include web sites, interactive products, miniatures, or character creators; (b) describe a process for creating a character or applying the effects of experience to a character; (c) use the terms “Core Rules” or “Core Rulebook” or variations thereof on its cover or title, in self-reference or in advertising or marketing thereof; (d) refer to any artwork, imagery or other depiction contained in a Core Rulebook; (e) reprint any material contained in a Core Rulebook except as explicitly provided in Section 4; or (f)be incorporated into another product that is itself not a Licensed Product (such as, by way of example only, a magazine or book compilation).

Ok, a GSL ainda se aplica apenas a livros impressos e em formato PDF, e acessórios que não sejam listados no item 5, ou seja, websites, produtos interativos, miniaturas, power cards e por ai vai. O que eu não me lembrava é da restrição para revistas: ou a publicação é toda licenciada para a 4ª edição do D&D segundo a GSL ou não. Parece que não existe a possibilidade de colocar um artigo de D&D 4ª edição em uma revista se ela não for toda orientada pela licença. Pelo menos assim que eu entendi…

E se for isso mesmo, indica que nunca veremos material da 4ª edição em uma revista de RPG brasileira, a não ser é claro, que ela seja totalmente dedicada a nova edição.

9.3 Protection of Wizards’ Rights. Licensee will assist Wizards to the extent necessary or as requested by Wizards to protect any of Wizards’ rights in and to Wizards Intellectual Property. Wizards will reimburse Licensee for any reasonable out-of-pocket costs incurred as a result of providing such assistance, provided that Wizards has approved such costs in advance. Licensee will not institute any suit or take any action on account of any such infringements or imitations, or otherwise institute any suit or take any action relating to Wizards Intellectual Property. Licensee will take no action that will harm, misuse or bring into disrepute the activities, properties or products of Wizards or Wizards Intellectual Property.

9.4 Remedies. Licensee recognizes and acknowledges that its breach of any of the covenants, agreements or undertakings hereunder with respect to use of the Licensed Materials, including without limitation trademark use requirements or quality standards, will cause Wizards irreparable damage which cannot be readily remedied in damages in an action at law, and may additionally constitute an infringement of Wizards’ rights in Wizards Intellectual Property, thereby entitling Wizards to equitable remedies, costs and reasonable attorneys’ fees.

Aqui o advogadês fica pesado, mas pelo que eu entendi desde que a GSL original foi lançada ano passado, ao assinar o contrato para o uso da licença, a pessoa (ou editora) abre mão de poder entrar com uma ação legal contra a Wizards a respeito de propriedade intelectual, e pior, mesmo que quem mova a ação seja a WotC, quem tem que pagar os custos dos advogados e outras despesas da empresa é o outro lado! Surreal demais isso. Mas especulando aqui, isso tem algum valor legal? Eu posso escrever o que quiser em um papelzinho, e até assinar, mas na vida real isso passa por cima da lei? Se eu quiser processar a WotC por uma treta de propriedade intelectual, o máximo que eles vão fazer é dar um chilique e cancelar meu uso da licença não é? Acredito que não se pode obrigar um dos lados a pagar os custos legais do outro através de um contrato, mas vai saber…

4.1 4E References. Licensee may reprint the proprietary 4E reference terms, tables, and templates (each, a “4E Reference”) described in the 4E System Reference Document as presented in the file “SRD.pdf” that is available for download at http://www.wizards.com/d20 (“SRD”), incorporated herein by reference. Licensee acknowledges that Wizards has previously defined each 4E Reference. Licensee will not define, redefine, or alter the definition of any 4E Reference in a Licensed Product. Without limiting the foregoing, Licensee may create original material that adds to the applicability of a 4E Reference, so long as this original material complies with the preceding sentence. Licensee will comply with all usage guidelines set forth in the SRD. Wizards may update or revise the SRD at any time in its sole discretion by posting the updated SRD on its website page located at http://www.wizards.com/d20. Wizards will indicate on the cover page of the SRD the date it was last updated. Licensee is responsible for checking the SRD regularly for changes, and waives any right to receive specific notice of changes.

Bom o segundo ponto mais chato e limitante da antiga GSL continua aqui (sim, o primeiro era a poison pill!). Não poder copiar nos produtos a estatísticas dos monstros é um saco, e vai acabar naquela gambiarra que já estamos vendo – monstros muito sutilmente modificados e renomeados, de forma que permaneçam praticamente os mesmos, mas que possam ser usados nos módulos. Custava eles terem liberado pelo menos uns 20 tipos de criaturas, os mais básicos mesmo, tipo orcs, goblins, gnolls, elfos para o pessoal poder usar sem fazer maracutaia ou deixar os livros incompletos? Uma coisa é um cenários de campanha que fala “use os elfos do Livro do Jogador”, ok, outra é uma aventura que se refere a um orc raider ou goblin skirmisher você tem que abrir o Livro dos Monstros para pegar as estatísticas. Um saco. Ah, e de acordo com o FAQ da GSL a aventura não pode nem citar a página do MM em que o goblin ou orc se encontra:

Q: Can I use page numbers?
A: No. Future versions of the books may be repaginated, so material won’t reliably appear on the same page in various printings of the books.

No fim das contas a GSL teve duas grandes mudanças: a possibilidade das editoras terminarem o contrato da licença caso discordem de alguma mudança, e ainda terem 6 meses para cessar a vendas dos produtos; e claro, o fim da odiada cláusula 6 que impedia o lançamento do mesmo produto usando a antiga OGL da 3ª edição e a GSL. São mudanças definitivamente importantes, mas que tornaram uma licença surreal de tão ruim e restritiva em aceitável e mais equilibrada, mas longe de ser ótima ou uma grande jogada.

O fim da restrição de uso conjunto da OGL e GSL deveria ter vindo muito antes, na licença original, e esse atraso pode ter custado a Wizards não apenas um bocado de publicidade negativa, mas também o suporte de excelentes empresas que foram em parte responsáveis pelo sucesso estrondoso da 3ª edição do Dungeons & Dragons. Estas editoras maiores trabalham com um cronograma de lançamento de um ano inteiro, e a indefinição da GSL, primeiro para sair, depois para ser atualizada, certamente afastou quem realmente tem grana e recursos para investir em grandes lançamentos. Até agora, dois dias após o lançamento da nova GSL, a Necromancer Games já anuciou que vai seguir a GSL e lançar produtos para a 4ª edição, enquanto a Paizo declarou que vai suportar somente seu Pathfinder. Nas próximas semanas veremos quem mais volta atrás na decisão de não assinar a GSL, e assim poderemos avaliar a efetividade das mudanças feitas nesta revisão.

Comments are closed.