Entrevistas com o Presidente da Wizards

No fim da semana o Greg Leeds, CEO da Wizards of the Coast deu duas entrevistas, que embora tenha conteúdo muito semelhante, são extremamente interessantes e reveladoras para aqueles curiosos com os rumos da maior editora de RPG do mundo. A primeira delas foi publicada na EN World, e a segunda, mais afiada e enfática nas perguntas, foi feita pelo sempre excelente site ICv2. O Felipe do blog 42 tem mantido seuimpressionante trabalho de tradução, e em menos de 12 horas debulhou as duas entrevistas no blog, que inclusive usarei aqui para comentar alguns trechos. Como as entrevistas são bem semelhantes, não vou diferenciar ou comentar uma de cada vez, até porque as perguntas se repetem:

A última, se a Wizards esta planejando usar outro método para fazer seus conteúdo digital disponível [ além de PDFs], porque acabar com os PDF antes desta alternativa estar pronta para uso? Não criar um ambiente, pelo menos temporariamente, não encoraja aqueles que estavam comprando seu conteudo legalmente de agora conseguir o material por cópias piratas?

O alcance da pirataria foi tal que tivemos que parar toda a distribuição de material digital enquanto procuramos outra opção. Após poucas horas do seus lançamento, o Player Handbook 2 havia sido baixado milhares de vezes. Nós, em uma estimativa conservadora, estimamos que para cada livro baixado legalmente, outros dez foram baixados de forma ilícita. Nós estávamos preocupados que esta atividade começasse a afetar lojas reais, e a Wizards não podia parar e deixar que isto aconteça quando há outras opções para adquirir nosso produtos.

Ah então tá, a preocupação da WotC é com as lojas reais, ok. O ponto central aqui não é o de quantas cópias ilegais do PH2 foram baixadas, certamente foram milhares. Mas sim quantas destas pessoas compraram o livro impresso depois, ou quantas delas jamais o comprariam, com ou sem cópia pirata rolando. Esse é o cerne da discussão sobre a pirataria – como ela afeta realmente as vendas. Dizer que foram milhares de downloads é dizer nada, aliás algumas empresas disponibilizam as versões eletrônicas de seus livros de graça e ainda assim conseguem boas vendas com as versões impressas. Não que eu queria que a WotC faça essa jogada, seria utópico esperar isso, mas esse argumento do número de downalods ilegais sem uma análise qualitativa fica muito mais frágil.

Outra teoria diz que a Wizards planeja vender PDF ela mesma, e queria manter a inteira margem de lucro, ao invés de reparti-la com websites terceirizados. Qual a sua resposta para esta teoria?

Simplesmente dizer que ela esta incorreta. Nós não planejamos vender PDFs, e estamos procurando outras opções para distribuição digital do nosso conteúdo.

toda a minha teoria vai por água abaixo… Bom tentar prever o futuro dá nisso não é? De qualquer forma, modéstia a parte, acho que seria a ação mais inteligente da WotC com base no cenário que temos conhecimento hoje.

A decisão de revogar a venda de PDFs significa que a Wizards não mais fornecerá qualquer outro método para se adquirir livros fora de catalogo como aqueles de edições antigas? Há algum plano de prosseguir com o acesso dos consumidores as cópias destes trabalhos através da Wizards, ou os consumidores deverão ir atrás de outros canais para adquirir estes produtos que estejam fora de catalogo? Se a última for verdade, porque a Wizards escolheu evitar dar este acesso?

Nós não temos qualquer plano de retomar as vendas de PDF, mas estamos atualmente examinando outras opções para a distribuição digital do nosso conteúdo, incluindo antigas versões. Nós entendemos que o conteúdo digital é importante para nossos consumidores.

Se levarmos a sério a parte do “não temos planos de retomar as vendas de PDF“, acho que uma boa aposta seria oferecer parte ou mesmo todo o catalogo da editora como um plano plus do D&D Insider, Isso traria muito mais gente para o serviço, e seria um uso interessante de livros antigos que hoje são peso morto para a editora.

Banindo as vendas de PDF, a Wizards of The Coast agora não tem mais nenhuma forma legal para os consumidores comprar o seu conteúdo digitalmente. Isto parece punir aqueles que estavam pagando pelo seu conteúdo digital, enquanto faz pouco para parar os piratas que podem continuar escaneando seus livros e compartilhando cópias digitais por aí, criando um novo aumento na pirataria. Qual a sua resposta para esta linha de raciocínio?

Nós entendemos que nossas ações não eliminaram totalmente a pirataria, mas não queremos também facilita-la.No fim para melhor suportar e aumentar nossa indústria de RPG, precisamos de uma base de vendas fortes. Entendemos que nossos fãs tem usado PDFs, e nós estamos atualmente procurando outras opções em distribuição digital. No tempo médio, nós precisamos proteger nossa indústria.

Leeds amigão, te contar um segredo: a pirataria de livros de RPG é muito mais antiga que o mercado de PDF’s. Ah, mas o plano é dificultar a pirataria. Ok, antes o nerd gordinho de Atlanta comprava o livro de D&D na RPGNow e liberava em um p2p. Agora o mesmo nerd gordinho gasta uma tarde inteira escaneando o livro antes de jogar no p2p. Talvez a vida dele tenha se tornado alguns mácrons mais miserável, mas para a Wizards, que é o que importa para nós, o efeito é o mesmo – o livro está na rede.

Quais estratégias, você pode compartilhar conosco , que você esta buscando para aumentar ainda mais as vendas e penetração no mercado?

Nós estamos felizes com a performance da 4 Edição. Nós tivemos que reimprimir o Player Handbook da 4 Edição três vezes e o PH2 já esta indo para sua segunda impressão. Ultimamente  o nosso objetivo é manter a indústria de RPG forte, e nossa estratégia para isto é continuar a cria grandes produtos para a 4 Edição que atraiam nosso fãs e mantenha-os jogando D&D. Por sua vez, isto irá aumentar a indústria de RPG.

Achamos a anti-fonte perdida! Piadas à parte, já sabíamos que a 4ª edição estava mandando bem nas vendas, e a única novidade mesmo foi sobre a reimpressão do Player’s Handbook 2.

Enfim, achei ambas as entrevistas decepcionantes, não pelos entrevistadores ou pelas perguntas, definitivamente eu não teria feito melhor, mas pelo nível das respostas. Ou o Greg Leeds está escondendo o jogo de alguma grande mudança e inovação, esperança que se torna a cada dia mais fraca, ou então ele e sua trupe estão tomando uma série de decisões importantes com base em um senso comum maluco, como esse da pirataria. Eu ainda tinha esperança que ele apresentasse um plano de vendas dos PDF’s da empresa, ou ainda algum tipo de estudo ou avaliação do efeito que os downloads piratas possuem nas vendas da 4ª edição, mas não, ao invés disso fomos presenteados com o mais raso senso comum de fóruns de RPG. Diabo, mesmo que eles viessem de volta com aquela idéia imbecil do DRM, eu ficaria puto é claro, mas ainda assim seria um plano. Como as coisas estão, a única impressão que as entrevistas me passaram é que a cabeça da WotC é oca e desorientada.

Comments are closed.