Wizards disponibiliza aventura, criador de personagens e quick start de graça!

Ontem a Wizards of the Coast surpreendeu todo mundo e tomou mais uma daquelas medidas inesperadas e na direção oposta a tudo que havia feito nos últimos meses. Eles criaram uma página no site oficial chamada D&D Test Drive, onde disponibilizaram as três coisas que alguém precisa para começar a jogar a 4ª edição do D&Dsem gastar nenhum centavo. Só faltaram mesmo os dados!

  • A primeira e mais importante parte para quem ainda não conhece a nova edição é o quick start, um documento de 27 páginas com as principais regras da 4ª edição.
  • Para facilitar a vida dos novatos, a WotC também liberou a versão demo do D&D Character Builder, que permite a criação de personagens do 1° ao 3° níveis. Mas essa jogada também agrada aos “veteranos” da 4ª edição, pois a nova versão do Character Builder tem material de todas as revistas Dragon eDungeon, além de todos os livros lançados até este mês, incluindo o Arcane Power!
  • E finalmente o que deve agradar ainda mais quem já acompanha os lançamentos da 4ª edição – uma versão revisada da Keep on the Shadowfell, primeira aventura oficial lançada para a nova edição. Um monte de coisas foram atualizadas, a maioria para tornar os encontros menos pedreiras e corrigindo CDs equivocadas. A errata feita aos desafios de perícias também foi incorporada nos desafios da aventura!

Grande sacada da editora que ataca duas frentes ao mesmo tempo – primeiro reduz a barreira de entrada para os iniciantes e curiosos, que agora podem conhecer e jogar a nova edição do RPG mais famoso do mundo sem gastar nada. Em segundo lugar é também uma clara tentativa de conter os danos causados pela decisão estranha (e equivocada) de cancelar a venda de todos os livros de D&D em formato eletrônico, que causou uma enorme repercussão não só entre os jogadores, mas também em outras editoras, que aproveitaram a deixa para detonarem a atitude jeca da WotC.

Eu não achei a Keep on the Shadowfell uma boa aventura como já disse aqui antes, mas é fato que eles não só disponibilizaram uma aventura de mais de 70 páginas de graça, como também tiveram o trabalho de mandar alguém corrigir o bocado de bugs e coisas sem noção que existiam por ali. E isso foi feito claramente para agradar aos jogadores e mestres que já testaram a 4ª edição do D&D (e provavelmente ficaram putos ou acharam ridícula a decisão de cancelar a venda dos PDFs).

Enfim, é surpreendente e muito bom ver a Wizards dar uma bola dentro dessas depois de uma série de ações decepcionantes em relação aos seus produtos e o olhar que tem sobre sua relação com a comunidade de jogadores. Independente de ser uma atitude marqueteira para consertar o estrago que eles mesmos causaram, é o tipo de marketing correto que no fim das contas tem muito mais efeito que um discurso burocrático padrão

Comments are closed.