Curva de Desenvolvimento – A Curva Rio Acima

Semana passada, falamos sobre oceanos e mares. Neste segundo artigo sobre Hidrografia, iremos tratar um pouco dos rios e lagos, sempre presentes em qualquer mundo, e das variantes mágicas que a fantasia nos permite criar.

Novamente, não temos a pretensão de em dois pequenos artigos explicar toda a importância e influência desses corpos d’água nas regiões que os cercam. Para isso seria necessária uma enciclopédia inteira, e ainda correríamos o risco de sermos superficiais em alguns pontos.

Justamente por isso, optamos por nos ater às conseqüências mais claras e imediatas que um rio, lago ou oceano pode ter sobre determinado vilarejo ou reino. Esperamos que esses artigos lhe sirvam como apoio, mas nunca como restrições ou regras. Se desejar ir além deles atrás de mais detalhes, pesquise na Internet, converse com geógrafos, com certeza terá muito mais material do que o apresentado aqui. Por outro lado se achar que tudo escrito aqui é muito chato e desnecessário apenas siga sua cabeça, afinal é o seu mundo, e ninguém sabe o que é bom pra ele melhor que você!

RIOS

Um Rio é uma passagem natural de água, e são formados geralmente ao redor de grandes lagos, montanhas ou terras de maior altitude, onde a chuva e o derretimento da neve alimentam os cursos d’água. À medida que a água desce em direção ao nível do mar, o fluxo se torna maior, juntando-se a outros rios, os chamados afluentes. Geralmente, os rios seguem o caminho de menor resistência; ou seja, pelos relevos mais baixos possíveis, sempre em direção ao mar.

Assim como os mares e oceanos, os rios criam novas possibilidades para as comunidades que os margeiam, tais como transporte, pesca, solo fértil e geração de energia.

O transporte fluvial possui uma série de limitações que não se aplicam ao marítimo, que podem torná-lo inadequado para fins comerciais e militares, de acordo com as características do rio. A primeira dificuldade que, em nosso mundo, só foi contornada no século 20 é a existência de quedas d’água; principalmente em rios de planalto, que ao contrario dos rios de planícies, possuem trechos inavegáveis até que seja criado algum tipo de mecanismo de comporta.

Outra dificuldade é a profundidade mínima das águas, que para o transporte de cargas é em média de 7 metros. E mesmo que essa profundidade seja alcançada sempre existe o risco de que sedimentos arrastados pela correnteza, como troncos e rochas das margens, danifiquem o casco das embarcações.

A pesca também é mais limitada em rios que no mar, geralmente produzindo uma menor quantidade e variedade de peixes, não sendo o suficiente para a subsistência de cidades ou vilas. Normalmente a pesca é feita aliada à agricultura, como fonte secundária de alimentos, principalmente durante os períodos de pior colheita.

A agricultura é a maior beneficiada pela presença de um rio de médio ou grande porte na região. O primeiro motivo é a presença certa de solo fértil nas margens dos rios. Isso se dá devido às inundações, que ao contrario da crença popular fazem parte do ciclo natural de um rio, ocorrendo de tempos em tempos e dessa forma trazendo sedimentos do fundo do rio para a superfície, enriquecendo o solo com nutrientes frescos. Muitos historiadores e geógrafos afirmam que a vida no antigo Egito só se tornou possível graças as incontáveis enchentes do Nilo, que tornaram o solo da região apta para a agricultura.

Outra vantagem evidente da agricultura próxima a rios é a possibilidade da construção de canais de irrigação, que permitem uma melhor colheita em terrenos mais afastados das margens dos cursos d’água.

A geração de energia é uma interessante possibilidade que os rios fornecem ao seu cenário.  Em nosso mundo, à medida que um rio ganha velocidade e passa por uma topografia acidentada, surgem as chamadas corredeiras e queda d’águas. Esses trechos de maior velocidade são ideais para a instalação de moinhos, muito usados na Idade Média para moer grãos.

Em um mundo abundante em magia, ou de características peculiares, essa energia pode se aliar a artefatos mágicos, resultando em usos nada ortodoxos. Por exemplo, uma jóia que pudesse armazenar essa energia gerada pelos moinhos de águas e depois transferi-la para outros usos, seria o suficiente para alterar o desenvolvimento das formas de energia do mundo, minimizando a própria necessidade das máquinas a vapor. As possibilidades desse tipo de junção entre recursos naturais, tecnologia e magia são infinitas, sendo limitadas apenas por sua imaginação e interesse por cenários destoantes da fantasia medieval clássica.

LAGOS

Um Lago é um grande corpo de água, cercado por terra. Os lagos sempre são formados sobre uma grande depressão natural na superfície, e a água ali presente pode ser proveniente da chuva, de uma nascente local ou de cursos d’água que deságüem nessa depressão.Lagos são menos comuns e menores em ambientes quentes e áridos, onde a falta de fontes de água impede a formação de um corpo d’água de grandes proporções.

As dimensões dos lagos podem ser muito variáveis, desde alguns metros até várias centenas de quilômetros, como são os Grandes Lagos da América do Norte. A sua profundidade também varia de acordo com o clima regional, desde alguns centímetros até várias centenas de metros. O Lago Baikal, na Sibéria com seus 1743 metros é o mais profundo da Terra. Imagine o que pode ser feito em um mundo de fantasia.

Assim como no caso dos rios, a proximidade dos lagos tende a ser formada por terra fértil, afetada por séculos ou milênios de inundações constantes. As regiões ao redor de lagos também costumam ter o clima mais ameno que o padrão regional, devido a maior evaporação do espelho d’água e da propriedade da água de reter calor.

ÁGUA, CIDADES E REINOS

Por essas características descritas anteriormente, é fácil entender o motivo pelos quais os grandes corpos d’água sempre foram um dos pré-requisitos para o surgimento de aglomerações humanas, seja por sua função como fonte de alimento e água, transporte, solo fértil ou geração de energia. Em alguns casos os vilarejos e cidades podem surgir distantes de fontes de água como, por exemplo, no caso da descoberta de grandes reservas de algum recurso valioso, como ouro ou pedras preciosas. Outras possibilidades podem ser cidades a margem de importantes rotas comerciais, mas mesmo nestes casos, a ocasional presença de rios,lagos ou mares não será ignorada pelos pioneiros.

Os rios, e lagos em menos casos são também utilizados como demarcações de territórios entre reinos e países, permitindo que mesmo durante a época medieval onde a cartografia não era tão precisa, questões relativas a fronteiras fossem facilmente resolvidas e demarcadas.

HIDROGRAFIA DO INACREDITÁVEL

Como foi discutido nos dois primeiros artigos dessa série, seu cenário não precisa necessariamente se ater às leis da física. Aliás, a esmagadora maioria dos mundos de fantasia não o faz, mesclando em diferentes proporções a física com elementos mágicos, como forma de tornar o cenário único e mais interessante.

A magia proporciona ao mestre interessado em criar seu próprio mundo uma ferramenta poderosa, que pode ser usada para tornar viáveis idéias até então inconcebíveis. E muitas vezes os mares, rios, lagos e oceanos são profundamente alterados com base nessa premissa mágica.

Rios de lava, oceanos de fogo, lagos com águas que causam o esquecimento, cachoeiras que correm ao contrário e fontes de cura ou rejuvenescimento. Esses são apenas os exemplos mais comuns de “hidrografias” mágicas, mas as oportunidades são infinitas e cada uma trará um elemento único a seu mundo. No entanto talvez seja válido chamar atenção para um detalhe geralmente deixado de lado: Como essa “hidrografia” (que pode nem ser composta por água!) afeta seu mundo?

Colocar um mar de ácido no seu mundo pode ser uma ótima idéia. Mas como isso ira afetar a região? Provavelmente a chuva em uma região de centenas ou milhares de quilômetros será mais ácida que o normal, assim como as nascentes, dificultando a vida na região. Algum animal ou criatura pode ter se adaptado à acidez do local, e se isso ocorrer um pequeno eco-sistema pode vir a existir. Ou talvez as conchas ou rochas submarinas sejam formadas por um mineral valioso, ou que sejam um importante componente para magias envolvendo ácido.

Tente criar uma relação entre o ambiente e sua nova criação, seja ela um rio, lago ou oceano, de maneira que ela parece integrada ao cenário, e não apenas uma coisa bizarra que foi colocada apenas para tornar o cenário diferente. Dessa forma ela parecera mais plausível e divertirá mais os jogadores, principalmente aqueles que adoram fazer perguntas e questionar tudo.

Bem espero ter conseguido jogar um pouco de luz neste tema. Semana que vem, tentaremos fazer o mesmo com os pilares sobre os quais se constrói qualquer mundo, seja fantástico ou não. Até a próxima!

É isso aí, depois de um mês gentilmente hospedado no D3system enquanto eu estava de férias o Ranking Cinza volta para casa em Agosto! Novamente agradeço Antônio “Pop” Sá e Johnny Menezes pela força, sem os caras teríamos um buraco em Julho…

Seguindo a rotina de sempre – o objetivo do Ranking Cinza é traçar um mapa das 20 páginas nacionais relacionadas a RPG mais freqüentadas e com maior alcance entre o público. Para isso a medida usada dentro do Alexa, a maior ferramenta de medida do tráfego de websites, é a do traffic rank nacional, que indica a colocação da página dentre o universo dos sites mais acessados do Brasil e que tem a característica de ser uma variável composta tanto dos acessos (ou page views) como número de usuários únicos (reach).

Agosto se revelou ainda melhor que o mês de Julho, que já havia sido sensacional. Este mês além de praticamente uma manutenção da medida da faixa de corte do último site listado em Julho, também tivemos um feito histórico: a primeira vez que um blog ocupou o top 5 do Ranking Cinza!

1- RPG Online – Como já estamos acostumados o primeiro lugar é do maior portal de RPG do Brasil, mesmo depois de perder cerca de 280 posições em relação ao mês passado ainda e terminar o mês na 2785ª posição dentre os sites mais acessados do BrasilCategoria: Portal Posição Anterior: 1

2- Ambrosia – O portal de entretenimento Ambrosia também se mantém na segunda colocação, mas se afasta um pouco do RPG Online ao perder cerca de mil posições de Julho para Agosto. A briga pelo topo esfria um pouco, mas o Ambrosia ainda possuí um belo traffic rank nacional de 4374. Categoria: Portal Posição Anterior: 2

3- Devir – Realmente, se Julho foi um mês sensacional para os sites de RPG provavelmente por causa da RPGCON, em Agosto os grandes não conseguiram segurar o resultado positivo, voltando para onde estavam em Junho. Um exemplo disso é o site da maior editora de RPG do país, que perdeu mais de 1300 posições notraffic rank nacional, e ficou em 6185, o suficiente para segurar ainda a terceira posição. Categoria:Editora Posição Anterior: 3

4- Rede RPG – A Rede RPG  também perdeu poucas posições e se mantém na 8236ª posição dentre os sites nacionais. Se essa tendência se manter logo teremos na 4ª posição o… Categoria: Portal Posição Anterior: 4

5- Paragons – Paragons! Com apenas dois meses de existência (embora seus integrantes sejam velhos de guerra aqui no Ranking Cinza) o Paragons chegou quebrando tudo e foi o primeiro a ocupar uma posição do top 5 por aqui! Um feito memorável, e resultado totalmente merecido de um trampo foda, como pode ser visto diariamente. Parabéns Antônio Pop, Shingo, Rey e Dan Ramos, agora é manter a qualidade dos posts lá em cima e melhorar o traffic rank nacional de 9122 para subir ainda mais!. Categoria: Blog Posição Anterior: 8

6- Jambô – Caindo fora do top 5 mas ainda mandando muito bem vem a editora Jambô que este mês subiu cerca de 500 colocações no seu traffic rank e ficou com o 12936ª posição dentre os sites nacionais, mostrando que não está fora do páreo. Categoria: Editora Posição Anterior: 5

7- D3system – O D3system perdeu cerca de 200 posições e não conseguiu acompanhar o ritmo do Paragons, com quem disputava a entrada no top 5, e termina Agosto com 15231 de traffic rank nacional. Mas assim como o .20 não vai ser nenhuma surpresa se derem um mega salto nos próximos dias como já fizeram várias vezes !Categoria: Blog Posição Anterior: 6

8- .20 – Outro blog que tem mandado muito bem nas atualizações diárias e espertas é o .20, velho conhecido daqui e que já segurou o posto de blog mais acessado do país que hoje é do Paragons.  Em Agosto eles perderam cerca de 3 mil posições, mas ainda se mantém dentro da mítica marca dos 20 mil sites mais acessados do país com 19840 de traffic rank nacional . Categoria: Blog Posição Anterior:7

9- Daemon – A página da editora Daemon está de volta ao top 10, depois de abandoná-lo em uma queda feia em Junho. a recuperação de Agosto envolveu a subida de quase 2 mil posições e deixou a editora com a 26240ª posição dentre os sites nacionais. Categoria: Editora Posição Anterior: 11

10- RPGArautos – O pessoal do RPGArautos continua mandando muito bem e depois de uma subida de 900 posições se segura na 10ª posição com 26847 de traffic rank nacional. Categoria: Portal Posição Anterior: 10

11- Moonshadows -Este mês a loja Moonshadows deu uma caída de mil posições, um pouco esperada depois do frenesi do lançamento do Livro do Jogador da 4ª edição em português. O site da loja terminou Agosto com28225 de traffic rank nacional. Categoria: Loja Posição Anterior: 9

12- Nitro Dungeon – Este foi um ótimo mês para o Nitro e sua dungeon, que subiram mais de 6 mil posições (!!!) ficando com ótimos 32213 de traffic rank nacional, apesar de se manter na 12ª posição no Ranking. Categoria:Blog Posição Anterior: 12

13- A Matilha – A maior subida do mês de Agosto fica por conta do pessoal da Matilha, que decolou incríveis 10 mil colocações no traffic rank ficando na 35930ª posição de acordo com o Alexa e subindo 5 posições por aqui. Nada mal! Categoria: Blog Posição Anterior: 18

14- Fale RPG – A Fale RPG deu uma ótima subida nos acessos, ganhando mais de 2500 posições no traffic rank, indo para 38432 e escalando uma por aqui. Categoria: Portal Posição Anterior: 15

15- Inominattus – O colaborativo Inominattus caiu um pouco em Agosto, perdendo uma posição aqui, e 1000 pelo Alexa, indo parar na 41196ª posição entre os sites nacionais. Categoria: Blog Posição Anterior: 14

16- Área Cinza – O Área Cinza continua sua lenta e dolorosa recuperação (ui!), e em Agosto subi 2 mil posições no Alexa e uma por aqui, fechando com 42408ª posição do traffic rank nacional… Hora de voltar a atualizar direito né? Categoria: Blog Posição Anterior: 17

17- ZBCast – O pessoal do ZBCast, blog do podcast de mesmo nome bastante comentado estreou em Julho na ótima 13ª posição e este mês teve uma queda forte de dez mil posições, perdendo 4 lugares aqui e ficando com46530 de traffic rank nacional.  Categoria: Blog Posição Anterior: 13

18- Dragon Slayer – A revista Dragon Slayer continua firme e forte, mas no site da revista está mais morto que montaria de Death Knight. Por isso mesmo não entendo como volta e meia ele volta para o Ranking… Desta vez marcou 48231 de traffic rank nacional. Categoria: Revista Posição Anterior: –

19- D3store – A D3store gerenciada pelo gente fina Jaime estreou em Julho e não parece que vai sair tão cedo do Ranking Cinza, mas passado o calor dos lançamentos do Livros do Jogador dos Monstros da 4e o site deu uma caída de mais de 5 mil posições indo para 48438 de traffic rank nacional e perdendo 3 posições por aqui.Categoria: Loja Posição Anterior: 16

20- RPG.blogs – Fechando o Ranking Cinza de Agosto vem o agregador RPG.blogs que havia caído fora em Junho. Nessa subida o bacana agregador marcou a 48664ª posição dentre os sites nacionais. Categoria:Agregador Posição Anterior: –

Agosto foi um mês muito bom, principalmente para  aqueles que souberam manter o fluxo atraído pelas férias e RPGCON se deram tão bem (ou melhor) que no mês de Julho. Tivemos também algumas mudanças – saíram do Ranking Cinza o Pensotopia e o favorito da galera Rolando 20 que deram lugar ao retorno do RPG.blogs eDragon Slayer. Vale lembrar que nenhum novato deu as caras este mês, e que em Julho tivemos só o pessoal do ZBCast… Será que as coisas estão se acalmando ou o nível de acesso dos sites subiu o suficiente para manter só as velharias que já tem uma base cativa de fãs? Acho que um pouco dos dois, mas nada que impeça quem está fazendo um trabalho foda de aparecer, como aliás eu aposto que vai acontecer com dois ou três blogs muito em breve!

Este mês tivemos também 8 blogs dentre o top 20, uma queda de 2 em relação a Julho e Junho, ou seja, apesar de termos blogs mandando muito bem, com destaque para o Paragons na quinta posição e para D3system e .20 que estão todos abaixo dos 20 mil de traffic rank nacional, os outros blogs não se deram tão bem assim. Ou seja, foi um ótimo mês para os sites de RPG, mas não tão bom para a blogsfera de RPG nacional de forma geral.

A taxa de corte deste mês, ou seja, o traffic rank nacional do último colocado da lista caiu um pouco em relação a Julho, mas de forma bem leve. No mês passado foi de 48034 do Rolando 20 e agora temos 48664 do RPG.blogs, ou seja, uma queda de 630 posições em relação a Julho. Nada mal mesmo, é a segunda menor taxa de corte em quase um ano de Ranking Cinza!

Comments are closed.