Entrevistas sobre 2009 – Paragons

Como prometido, é hora da segunda entrevista da série sobre mercado de RPG em 2009! Estreamos com a entrevista do Marcelo Cassaro, que já se tornou um dos artigos mais lidos (e debatidos!) do blog, e agora vamos dar continuidade a lista de figuras interessantes do RPG nacional com o pessoal do Paragons, o maior blog de RPG nacional atualmente, que mandam muito bem tanto na cobertura de notícas, mas também com material de jogo e artigos próprios. Enfim, considero os caras o blog de RPG definitivo!

Só para relembrar a proposta desta série: em Dezembro de 2009 enviei uma mini-entrevista para 14 figuras e grupos que considero importantes na cena do RPG nacional, com perguntas padronizadas sobre como avaliavam o ano que estava acabando. A idéia não era fazer uma pesquisa elaborada com centenas de entrevistados, mas tentar montar um mosaíco simples com algumas peças chaves do RPG por aqui, e com base nas opiniões e pontos de vistas de cada um iniciar uma discussão sobre os rumos do hobby no Brasil. Dito isso vamos as resposta dos Paragons Antonio “Pop” Sá, Felipe “Shingo”, Daniel “D.Darkangellus” e Dan Ramos:

1- Como vocês avaliam o ano de 2009 para o mercado nacional de RPG? De forma geral foi um ano melhor ou pior que o anterior? Por quê?

POP: Melhor que 2008. Aliás pra piorar só tivéssemos algo catastrófico, como a proibição do RPG no Brasil, quebra da Devir ou da Jambô.

SHINGO: Foi melhor que o ano de 2008 já que vimos uma mudança na estrutura da Devir fazendo com que os lançamentos saissem de forma mais organizadas. Um fortalecimento dos eventos promovidos pelo RPG Arautos. Porém tivemos muitos poucos lançamentos vindos de editoras pequenas, acho que este pode ter sido o ano da comunidade de RPG, mas não das editoras.

D.DARKANGELLUS: Com o advento da 4ª Edição, acredito que 2009 foi melhor do que os últimos anos, e não somente do que o ano anterior. Qualquer lançamento em grande escala afeta o mercado nacional, principalmente quando promovido pela WotC. Infelizmente, nosso mercado nacional caminha somente quando o mercado gringo está em movimento, e sempre após e com uma distância considerável.

DAN: Acredito que o mercado nacional aqueceu muito em relação ao último ano com o óbvio advento da 4E e o excelente trabalho de editoras como a Jambô, de iniciativas de internet e eventos, que fez a Devir finalmente começar a se mexer. Ou seja, nosso mercadinho pode até aprender a andar a partir de 2010.

2- Qual foi a melhor notícia, iniciativa ou lançamento do RPG nacional este ano na opinião de vocês?

POP: Foram duas, o amadurecimento da Blogosfera, capaz inclusive de ter gerado a idéia inicial da RPGCON, competentemente executada pelo D3 e obviamente pelo que representa pro mercado o lançamento do D&D 4e no Brasil.

SHINGO: RPGCon foi a noticia e até apostaria o que salvou o ano do RPG nacional, o lançamento da 4e com a concretização da idéia das prévias e da pré-venda dos produtos fez com que o calendária da Devir pudesse ser olhado com maior credibilidade que os anos anteriores.

D.DARKANGELLUS: Certamente a RPGCON, sobretudo, pelo incentivo aos rpgistas que eventos como estes oferecem. É o mesmo que dizer ao Rpgista: “Cara, você não está sozinho!” ; e por mais que alguns não acreditem, isso é importante para manter o público de um mercado que de fato é pequeno e instável. Eu também gostei da notícia do lançamento dos Livros-Jogos da Editora Jambô.

DAN: Foi o Paragons e o Old Dragon, ora! Brincadeiras à parte, com certeza foi a RPGCon, o crescimento vultoso da blogosfera e o twitter, que integraram completamente o pessoal da “cena” do RPG brasileiro. Hoje em dia uma notícia se propaga com rapidez inacreditável, atingindo até os rpgistas sem internet (existe isso ainda?).

3- De forma mais geral, como você enxerga o ano de 2009 para o mercado mundial de RPG? E qual a notícia, iniciativa ou lançamento que mais se destacou neste ano?

POP: Sem dúvida o maior destaque do ano vai pro Pathfinder. Ele conseguiu cativar sem decepcionar e foi o ponto alto da GenCon 2009 que é o ponto alto do RPG mundial ao longo do ano.

SHINGO: Pode-se ver que o mercado mundial esta passando por uma transformação. As editoras estrageiras estão em busca de uma nova forma de se ver o RPG. Seja a WotC com o D&D Insider e com a sua nova Comunidade, seja a Paizo se aproximando dos jogadores orfãos da 3,5, a FFG com o novo Warhammer e seus props que parecem ter vindo de boardgame e cardgames e até a Green Ronin com o Dragon Age RPG.

Mas dentro das comunidades pode-se ver que o movimento OldSchool esta ficando cada vez mais forte no exterior, assim como antigas iniciativas que estam tentando resurgir como o D6 System sob a bandeira Open D6.

D.DARKANGELLUS: Acredito que o maior destaque dos últimos dois anos seja da 4ª Edição, já que desde seu lançamento o mercado mundial de RPG tem respondido somente aos seus “atos”, além da constante polêmica. Tanto o Pathfinder quanto (a revolta) OldSchool são resposta e exemplos claros disso.

DAN: Bom, como de mercado de RPG eu sou uma anta, deixo a cargo dos outros paragônicos falar sobre isso. Mas do pouco que sei, a Paizo colheu um ano de hype com seu Pathfinder, os boxed sets estão voltando e etecétera.

4- Quais foram seus principais projetos, lançamentos ou iniciativas em 2009? Eles responderam as suas expectativas?

POP: Foram dois, o Paragons que atendeu ou cumpriu com todas as minhas expectativas e o Old Dragon, mas este, foi muito além de onde eu sequer poderia imaginar que chegaria.

SHINGO: Paragons que é minha menina dos olhos. Todos os meus projetos são relacionados com o blog, e ele superou e muito a minha expectativa. Esperava que chegasse no nível que estamos apenas em meados de 2010. Grande parte disto se deve a comunidade e aos nossos colaboradores.

D.DARKANGELLUS: Sinceramente, não esperava receber um convite para o Paragons, isso superou minhas expectativas. Tinha como pretensão levar o Adrenalina RPG, meu antigo blog, e colaborar de alguma forma com o Rpg. Embora, seja somente por pura diversão. Atualmente, como o PRG está crescendo cada vez mais, estou procurando diversidade para preencher vagas das quais acredito que são importantes, como comentar sobre diversos assuntos nerds, algumas das vezes envolvidos indiretamente com o RPG. E isso também é importante para angariar novos jogadores para o RPG através do site.

DAN: O Paragons de fato nasceu de uma decepção que tive e virou o meu projeto mais importante e divertido, e graças aos deuses tem crescido bastante e valido a pena. Passei um aperto grande e não cheguei nem perto de me envolver tanto quanto gostaria com o Old Dragon, mas fiz o que pude e sempre defendi o projeto com unhas e dentes, e assim fico feliz demais porque ele surpreendeu a nós e deixou calado quem estava falando que o treco não tinha lá muito futuro. É sério, um jogo de nicho dentro de outro, nossa. Outra coisa muito boa é que estou finalmente começando a aparecer nos livros de RPG e começando a conseguir manter uma periodicidade nas minhas tirinhas (Paragolândia), o que pra mim são coisas muito importantes.

5- Quais são suas expectativas para o mercado de RPG nacional para 2010?

POP: Acredito num fortalecimento da linha 4e no Brasil, um destaque ainda maior da blogsfera, talvez com a aproximação destes com as editoras ainda consolidadas no mercado.

SHINGO: Que alguém vindo da blogosfera ou produza material para as editoras ou, em um pensamento muito otimista, publique material sob a própria bandeira.

D.DARKANGELLUS: Vou torcer para o sistema OLD Dragon, não como quarto paragônico, mas como rpgista oldschool fã de Hero Quest. E também para que as editoras nacionais entendam que “a força” está do lado da blogosfera rpgística!

DAN: O Tormenta RPG e o Old Dragon nas prateleiras das livrarias! Quero muito ver a blogosfera (e o Paragons) crescendo ainda mais, quero que as editoras não deixem a peteca cair e que saia Hunter em português!

6- Vocês já tem projetos, lançamentos ou iniciativas previstos para o ano que vem? Se sim falem um pouco sobre eles!

POP: Tenho um monte de projetos relacionados ao Old Dragon e cenários ligados a ele. No que depender de mim e do acredito que do Paragons como um todo, 2010 será o ano do OD, ou pelo menos o ano onde trabalharemos com ainda mais afinco pelo OD.

SHINGO: Projetos tenho um monte! Quero transferir uns projetos que temos para o OD e além disto trabalhar em um sistema de RPG que seja mais Narrativo. Vamos ver no que dá.

D.DARKANGELLUS: Pretendo continuar promovendo as séries de entrevistas, divulgando curiosidades e opiniões sobre os blogueiros que estão trabalhando em prol do mercado nacional. Sobre o OD, vou aguardar o processo de finalização da versão completa para depois refletir sobre a possibilidade de um projeto.

DAN: Eu vou casar com a Elisa do Paragons! =D


Comentários: Embora os quatro senhores não tenham unificado as respostas, até que eles tem idéias parecidas, o que facilita o meu trabalho de comentar! Concordo com os caras que 2009 foi um ano obviamente melhor que 2008, aliás melhor que os anteriores também, e que um dos fatores para isso foi o lançamento da versão nacional da 4ª edição do RPG mais famosos do mundo pela Devir. Só o número de lançamentos da Devir para o Dungeons & Dragons em 2009 já indica que alguma coisa boa está rolando! Fazendo coro com o Cassaro, os paragônicos também apontaram a RPGCon como ponto alto do RPG nacional no ano que passou, e não tem muito como ser diferente né? Interessante é o ponto que o Pop e o Dan trazem da blogsfera de RPG nacional, que cresceu pra caramba nos últimos 12 meses, e foi inclusive onde a idéia da RPGCon surgiu e foi fomentada por um tempo. Nada mal mesmo, quem sabe esse ano a gente não consegue fazer um encontro de blogs decente?

Já sobre o mercado gringo, além da 4ª edição do D&D e do Pathfinder RPG da Paizo, os caras apontaram também o movimento oldschool, cujo Paragons é um dos grandes proponentes por aqui com seu Old Dragon. Pra ser muito sincero eu não acompanho tanto assim esse movimento lá fora e não vejo grandes lançamentos, embora saiba que exista uma cena pequena, mas forte e coesa, desse nicho. O que vejo mais são ecos dessa pegada mais retrô dentro de outros jogos, como o próprio Dragon Age citado pelo Shingo. E caixas, 2009 tivemos um monte de caixas!

As expectativas dos quatro para o mercado de RPG nacional em 2010 são bem interessantes, focando no lado da produção dos próprios blogs. Uma coisa que temos discutido muito nas reuniões da Secular é justamente isso: já existe muito material foda e de qualidade sendo lançado por aqui através dos blogs de RPG, o que falta às vezes é diagramar, ilustrar e dar uma editada, mas o produto bruto definitivamente já está lá. Ou seja, tenho expectativas muito semelhantes, acho que algumas editoras como Jambô, Daemon e a Devir de maneira tímida, já sacaram que existe muita gente boa de serviço nos blogs, e mais ainda, que eles são um canal essencial de contato com os fãs e consumidores, quem sabe na RPGCon 2010 isso não avança ainda mais?

Espero que tenham bons ventos nos projetos de vocês em 2010, tanto no Paragons e Old Dragon, mas especialmente no casamento do Dan e Elisa! Vocês todos têm mandado muito bem no blog, quem sabe não é hora de pular para o mundo impresso não é? E gostaria de agradecer a entrevista, a disponibilidade, e as traduções do Shingo que eu sempre roubo por aqui ; )

A próxima entrevista será com uma das editoras, mas até lá gostaria de saber o que vocês acharam? Blogsfera de RPG bombando em 2010? Ou já alcançamos o pico e agora é só manter a presença online?

21 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. @JaimeDaniel disse:

    Muito interessante a opinião dos paragônicos. Apenas uma observação a resposta do Shingo à segunda pergunta, não foi a Devir que instituiu as pré-vendas de seus livros. Como o jabá descarado mesmo, embora tivesse sido fieto duas ou três vezes antes, foi a d3store que criou o hábito da pré-venda de produtos não só da Devir, prática que a concorrência aderiu rapidamente depois…

    • @JaimeDaniel disse:

      E parabéns ao Rocha, por comentar com elegância e propriedade as respostas dos entrevistados. Um exemplo a ser seguido…

      • Rocha disse: (Author)

        Valeu Jaime! Na verdade eu acho que não sou exemplo de comportamento nem pro meu cachorro, mas valeu de qualquer forma, é fácil comentar essa galera que produz e discute com tranquilidade : )

  2. Cabelo Branco disse:

    Um ótimo ponto tocado e bem conhecido é a grande movimentação da Jambo em 2009.

    Embora eu não seja consumidor dos produtos da editora é louvável a iniciativa ao qual trás um novo gás ao mercado.

    • Olha, vou falar como consumidor e rpgista, não como blogueiro.

      Louvável é o fato do mercado de RPG não permanecer monopolizado, enquanto houver concorrência, haverá uma chance maior de novidades e, principalmente, produtos de qualidade.

      A Jambô têm mantido um bom desempenho, é inquestionável, e por mais que certos produtos não sejam do interesse de alguns rpgistas, produzir e disputar espaço no mercado nacional de RPG é muito mais importante para nós (rpgistas) do que parece.

      Abrçs e Bons Jogos.

  3. Concordo com muito do que os paragônicos disseram.
    Tenho uma pergunta para os paragônicos, se me for permitido fazer.
    Acham que os jogos relacionados à D&D vão, finalmente, tomar conta do mercado como um todo?
    OD e quase a totalidade de posts do Paragons e as respostas na entrevista [parabéns Rocha!] tem me mostrado que o Paragons acredita no RPG, mas sendo mais específico, em sistemas de jogos medievais. É isso?

    As editoras americanas e as nacionais têm trabalhado muito forte para manter o RPG 'clássico medieval' vivo, mas eu sempre fico com algon icomodando, quando lembro dos jogadores de outros sistemas e ambientações que têm sido deixado de lado pelas editoras.

    • Dan Ramos disse:

      Não se preocupe Alexandre, se depender de mim teremos muito além da fantasia no futuro! Estou correndo de D&D, começando uma campanha de Shadowrun e muitas de Storytelling e provavelmente vou postar muito mais sobre outros gêneros. =D

    • É só um reflexo natural dos nossos jogos. Os colaboradores e nós jogamos mais campanhas de Fantasia e isto reflete nos textos, mas eu pessoalmente sempre tenho mais interesse em Jogos Genéricos ou Sci-Fi.

      A questão é de demanda mesmo, a maior parte das pessoas jogam Medieval, por uma tradição talvez, então isto reflete na produção do material pela editoras gringas. Mas se você observar no mercado americano há uma movimentação paralela com material fora deste campo, principalmente publicado para Savage Worlds.

  4. Elisa disse:

    Muito legal a iniciativa, Rocha. Discordo plenamente de algumas respostas desses 4 Cavaleiros do Apocalipse, mas em geral as respostas foram bem elaboradas.

    Respondendo ao Alexandre: Não, o Paragons não é apenas um reduto medieval de fantasia. Nós, colaboradores lutamos muito para não deixar a peteca cair e produzir material diversificado. Incluindo outros sistemas, dicas, resenhas de filmes e novidades de interesse nerd em geral.

    Só um adendo: casamento (se rolar) não é projeto de RPG ou do Paragons é um "projeto" pessoal, Dan.

  5. Não unificamos porque queremos ver você trabalhar :P

    As traduções são do povo, pode roubar o quanto quiser..

    • Rocha disse: (Author)

      Pilantras! Mas foi moleza porque vocês combinam, se tivessemos um racha pró e anti 4e aí sim seria foda comentar cada pergunta…

      Pode continuar traduzindo então que eu garanto que vou continuar roubando!

  6. Phil Souza disse:

    Quem sabe esse ano o encontro de Blogs não melhora? Espero estar lá!

    Tomara que as editoras comecem a perceber esse excelente trabalho que vejo por ai. Tem coisa muito boa!

  7. alvaro disse:

    sinceramente meus parabens pela serie de entrevistas estão boas sensacionais isso aproxima e fortalece nossa cena de uma forma incrivel !
    Aqui deixo também meus parabesn ao Dan e a Elisa qeu Deus abençoe este casal e que o matrimonio seja eterno

    gente se puder passar no meu blog agradeço o link é meu nome

  8. Talude disse:

    Uma pequena pergunta, Rocha. Todos os 14 responderam?

  9. Urathander disse:

    Acho estas entrevistas muito boas. Aguardo ansioso pelo restante. Quanto ao Old School lá fora, é um movimento mais ligado à internet creio, já vi uma penca de produtos relacionados, agora em termos de lançamento mesmo, produto voltado ao mercado realmente vejo poucos, parece que um ou dois estão disponíveis sob o sistema de impressão sob demanda, mas o resto é mais no estilo do Old Dragon mesmo.

    Eu não gostei na 4ed., mas não vejo muito sentido em "andar para trás", para mim old school tem muito mais com estilo de jogo do que regras, mas apóio totalmente a iniciativa, quando lançarem em formato físico com certeza comprarei, falta um produto simples e barato (espero) para eu presentear aos filhos dos meus amigos (não gostei muito do 3D&T Alfa, se fosse o antigo…)

  10. Arquimago disse:

    Mais uma grande entrevista!

    Editora? Será a jambô?

    O pessoal falou muito da 4ed, mas eu queria mesmo que o povo falasse do M&M, mas acho que isso só vai virar esse ano com o lançamento de suplementos não voltados a supers, espero que 2010 seja um bom ano para o M&M.

  11. Leisses disse:

    Rocha…cadê a próxima entrevista??? Estou na seca para ler hahaha

Comments are now closed for this article.