De volta da RPGCON 2010

Como já é de praxe, depois de dormir um pouco é hora de escrever minhas impressões sobre a RPGCON 2010 que aconteceu neste último fim de semana em São Paulo. Para quem já foi no evento e conhece a proposta e pegada da RPGCON pode seguir direto com a leitura. No entanto para aqueles que são marinheiros de primeira convenção ou querem saber como surgiu o maior evento de RPG dos últimos dois anos, recomendo dar uma lida rápida no relato da RPGCON de 2009. O post havia se perdido no crash do Área Cinza, mas várias pessoas legais me enviaram backups, então perdidos mesmo foram só os comentários…

Eu e os trutas Tiago, Giltônio e Garrell chegamos na sexta e de cara já trombamos com o Salomão que foi uma espécie de guia para os rolês de comilança e bebedeira na terra da garoa! Além de totalmente sangue bom (deve ser por causa da descêndencia mineira), na sexta mesmo o Salomão começou a agregar a galera, e acabamos fechando o dia bebendo com os também forasteiros  Wallace, CF e Thiago, e o Trevisan velho de guerra.

Sábado caímos cedo para o evento, afinal nossa palestra sobre produção independente de RPG estava marcada para às 10:30 – mesmo horário do jogo entre Argentina e Alemanha e do Encontro de Blogs, ou seja, não esperávamos uma vasta platéia! Eram 11 horas e o auditório estava vazio, e pensamos em desistir e  montar nossa barraquinha na Feira de RPG Independente, mas o sábio Giltônio insistiu que começassemos e garantiu que a sala logo encheria se a discussão rolasse…

Dito e feito. Após uma breve apresentação começamos a desembolar a conversa e o pessoal foi aparecendo, fazendo perguntas e contribuindo para que a discussão fosse muito mais rica. Logo o Guilherme da RetroPunk, editora que surgiu recentemente com uma proposta foda de lançar ótimos livros independentes e que pra mim é a grande promessa para dar uma agitada no RPG nacional no próximo ano, se identificou na platéia e fez um monte de colocações excelentes. Falamos um bocado sobre nossa experiência com a venda no mercado gringo através de PDFs, da proposta e da forma como construímos o Mamute, da neurose obsessiva que muita gente tem com o profissionalismo, como se uma proposta amadora não pudesse ser bem feita, da importância em escolher um formato adequado ao seu material, enfim, foi uma ótima conversa embora um tanto informal e meio atropelada. Gostaria mesmo de agradecer quem trocou o Encontro de Blogs (e o primeiro tempo de Alemanha e Argentina) para conversar com a gente!

Giltônio, Tiago, Garrell e eu

Depois da palestra e de uma ótima conversa com a galera sobre a venda de PDFs e a possibilidade de desembolar isso no Brasil, fomos para o pátio central montar nossa humilde barraquinha e atacar os passantes até que comprassem seus Mamutes! A atividade de ficar na banquinha trocando idéias e apresentando a proposta do fanzine para o pessoal daí pra frente dominou nossa experiência de RPGCON, mas de forma alguma isso foi ruim, na maior parte do tempo a galera era super interessada, fazia sugestões, perguntava do processo de produção e de futuros lançamentos… E tivemos a força inestimável do Renato Caipira, brodér refugiado de BH, que quebrou vários galhos durante o sábado. Valeu cara!

Na parte da tarde participei da palestra das editoras, que foi bem descrita pelo Shingo do Paragons, e na qual o Giltônio foi convidado a subir ao palco no meio da fala do Trevisan para falar do Mamute e da Secular (assim como o Gulherme da Retro) e mandou muito bem. Fiquei só até a metade pois estava mais pilhado de voltar a barraquinha e vender Mamutes, mas a palestra estava bem cheia e com um clima mais animado que a do ano passado, que foi meio morta. Depois rolou a palestra de Tormenta, na qual dei só uma passada rapidinha e pude ver o pessoa da Spell fazendo e recebendo respostas engraçadas do Trio, mas depois de um tempo a brincadeira perdeu a graça… Após mais uma maratona de vendas – no primeiro dia vendemos cerca de 45 Mamutes, para um público que em sua maioria já conhecia o zine através daqui do AC, ou pela divulgação em outros blogs (em especial pelo Trevisan, .20, Jambô e Paragons, valeu pela força pessoal!), tivemos a previsível e chata indecisão de onde beber! Novamente este ano fomos para o já clássico Omalley’s, mas acho que talvez fosse mais legal um rolê meio oficial do evento, marcado em um lugar grande, acessível e com antecedência, para que todo mundo pudesse ir. Acabou que nessa indecisão de última hora o pessoal se dividiu, uma boa parte foi para um buteco na Augusta e outra para o bar irlândes, que repito, é incrivelmente foda, mas como boa parte desse pessoal se encontra só uma vez por ano, podíamos privilegiar a troca de idéias e bebedeira, mesmo que fosse em um lugar menos fodão. Acho que vou pegar pra organizar isso ano que vem! De lá caímos direto para uma festa em que o Garrell tocou em um bairro meio longe, mas acho que fiquei mal acostumado com as festas daqui de BH e nem achei grandes coisas. Mas deu pra ficar bem bêbado…

Família Mamute representando na palestra das editoras

Domingão de ressaca, e ao montar nossa barraquinha para o segundo dia de labuta, o Garrell nos aparece com uma bandeira do Bob Marley, que ele já tinha levado para a balada na noite anterior. Não pensamos duas vezes e mandamos a bandeira junto com nosso tímido banner o que logo começou a chamar a atenção da galera. Aliás, o perfil das pessoas que se aproximavam da barraquinha no segundo dia era claramente diferente – nunca tinham ouvido falar do Mamute, Área Cinza, Secular Games e essas bobeiras de internet. Chegamos no mundo real! Obviamente isso dificultou o processo de vendas, mas também foi interessante, pois vimos que muitas pessoas que nunca ouviram falar da gente e das nossas presepadas, ao conhecerem a proposta do Mamute e olharem as suas matérias decidiram apostar 7 pratas no nosso trampo.

Como no domingo o movimento na nossa barraquinha estava mais derrubado, e muita gente estava curiosa com o que a bandeira do Bob Marley fazia ali, resolvemos animar mais a parada e com a ajuda inestimável do D3 e do Jaime montamos umas caixinhas de som no iPhone do Garrell e já mandamos um set de reggae para animar mais aquele domingo ensolarado Numa boa, à partir daí tivemos alguns dos momentos mais divertidos do evento, com as dancinhas, fotos com o rei do reggae, piadas nonsense e conversas bem espertas com a galera interessada. Adorei a banquinha do domingo, que seguiu bem a proposta do zine – já que não vamos ganhar dinheiro de verdade com a parada, vamos nos divertir!

Em um próximo post quero falar mais da venda do Mamute e das minhas impressões, mas vamos voltar aqui para a RPGCON. Fechando o domingo e o evento, tivemos a palestra Mesa de Vidro, onde os organizadores se sentam com os participantes para escutarem sugestões, críticas, e darem um retorno de como foi o processo de organização. Pra mim esta é a alma da RPGCON – um evento aberto, colaborativo, que pode ser tão bom ou ruim de acordo com o tanto que você se envolver e fizer acontecer. Na mesa de vidro o D3 abriu falando do principal erro da organização na sua avaliação: a falta da opção de receber por cartão de crédito nas lojas, e explicou que houve um atraso na negociação com a empresa que gerencia os cartões Visa e Master. Também foram apontados outros erros e pontos que poderiam ter sido melhores, como os stands, novamente a sinalização e as poucas opções de lanches no evento. Reparem que são críticas somente a estrutura e organização, se não me engano no que se refere ao conteúdo das palestras, organizações presentes, stands, e atividades em geral a RPGCON 2010, assim como no ano anterior, só recebeu elogios. Nesse excelente relato do evento pelo Shingo (droga, ele de novo!) o pessoal têm discutido o evento e seus pontos fracos, inclusive com a participação do Wallace, um dos organizadores, funcionando quase como uma continuação da mesa de vidro. Altamente recomendado!

Agora meu ponto de vista. Achei o evento muito parecido com a RPGCON do ano passado, tanto nos pontos positivos como nos negativos. Programação vasta, interessante, com uma transparência e abertura a participação da comunidade que eu nunca vi no RPG nacional, com uma proposta de agregar e fomentar, estes são os destaques do evento, e que pra mim o tornam incomparavelmente melhor que os 4 Encontros Internacionais de RPG que participei. Aliás como disse na Mesa de Vidro, a proposta dos eventos pra mim são tão diferentes que  embora ano passado a RPGCON tenha ocupado a lacuna do EIRPG, não acho que faça muito sentido comparar um com o outro. Colocando de uma maneira simplista, o primeiro era o evento de uma empresa, com as coisas boas e ruins que vem com isso; o segundo é um evento da comunidade, também com seus pontos fortes e fracos próprios.

E comparando a RPGCON 2010 com a RPGCON 2009, vejo que pouca coisa mudou, tanto nos erros como nos acertos. Como disse para o Wallace e Luciana, e depois na própria Mesa de Vidro, algumas coisas que rolaram em 2009 foram completamente compreensíveis, tendo em vista que o evento do ano passado foi organizado em dois meses. Este ano esta justificativa não se aplicava, e isso tornou a repetição das mesmas questões (como a do cartão de crédito, divulgação e sinalização) bem mais grave na minha opinião. São questões importantes que de certa forma tiraram um pouco o brilho do evento, mas que não foram suficientes para estragar a parada, de forma nenhuma. Aliás segundo o D3 este ano o evento teve cerca de 3100 participantes, contra 2800 do ano passado, o que mostra um crescimento, mas que com uma divulgação mais robusta e para além dos parceiros da internet poderia ter sido ainda maior.

Em 2011 estaremos na RPGCON novamente, não só para assistir as palestras, comprar os lançamentos legais e garimpar a feira de livros usados, mas também para sugerir a programação, oferecer palestras, divulgar nosso trampo e conhecer o que os outros estão criando. Não sei para vocês, mas me parece bem mais interessante, desafiador e divertido que uma mera feirinha de RPG!

Momento utilidade pública:

Muita gente já escreveu relatos da RPGCON 2010, e listarei aqui neste post todos que encontrar. Se você escreveu algum relato ou diário da RPGCON, ou leu algum que ainda não está por aqui, coloque nos comentários que atualizo assim que puder ok?

18 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. Foi show conhecer o pessoal da Secular Games e depois de ler a Mamute perceber claramente que ela saiu de uma conversa ácida no bar regada a cachaça e alguns amendoins.

    Temos mesmo que acertar este Boteco RPG, sabe como é.

  2. GranKain disse:

    Você conseguiu resumir bem a minha impressão sobre o evento, em tudo, não alteraria uma letra. Parabéns ! =)

  3. Opa, e ae Rocha, blz? Ow animo demais de te ajudar nessa parada de rolê oficial de onde beber depois da RPGCON do ano que vem… falando nisso, acho obrigatório uma mega sessão anual de "Tópicos & Trolls" com todo mundo junto!

    Ainda em tempo, segue meus links de jabá da Taverna do Goblin (por enquanto sõ só as fotos, em breve também pretendo escrever alguma coisa nova sobre o evento):

    Fotos RPGCON 2010 – Sábado http://www.ogoblin.com.br/2010/07/fotos-rpgcon-20

    Muitas Fotos RPGCON 2010 – Domingo http://www.ogoblin.com.br/2010/07/fotos-rpgcon-20

    • Garrell disse:

      Rodo, muito obrigado por ter nos fortalecido, cara! Ajudou bastante, tanto nas fotografias quando chegando junto na banquinha e deixando o seu material. Como sempre, tá ligado que estamos juntos!

      Abraço,
      Richard

  4. Tek disse:

    Sempre que precisar pode contar comigo pra beber e comer bem em SP.

    • Garrell disse:

      Tek, sem palavras para agradecer o auxílio que nos deu, cara! Muito obrigado mesmo. Quando quiser é só chegar em BH, tá em casa!

  5. Maíra disse:

    Oie, stalker presente!

    Olha, show de bola esse relato.

    Tenho a impressão de que boa parte das pessoas que estão criticando o evento não sacaram esse aspecto que você levantou: é um evento de uma comunidade, não de uma empresa.

  6. Barba disse:

    Sugiro que esse tópico no fórum da Spell seja decretado um suplemento de "Tópicos&Trolls" !

  7. @fadaled disse:

    não sei, parece que o pessoal dos estandes não botaram muita fé que o pessoal ia querer comprar e pareciam bem pouco preocupados até ver a quantidade de gente interessada em livros, minis, etc. Mas ainda assim o evento foi bem animado por conta dos próprios jogadores nas mesas e participantes no geral, o pessoal que foi queria curtir um evento de rpg, encontrar amigos, jogar, foi bem legal nesse sentido, deu pra sentir uma energia gostosa circulando. Acho que pelo fato da escola não ser tão imensa isso ficou mais evidente.

  8. Kairo Abade disse:

    Olá Rocha, sou do Reduto do Bucaneiro. Parabéns pelo Mamute, parabéns mesmo. Vida inteligente ainda existe…rs

    São lamentáveis algumas criticas que li (Digamos que seja em uma grande portal de rpg) sobre o evento. Pessoas sem um mínimo de conhecimento sobre organização de eventos. Até do preço dos livros os caras reclamaram. legal é que o evento antigo, aquele grande, caro e chato, acabou e ainda tem genet "viúva" dele…rsrsrs

    Estava falando com um amigo, um dos problemas do rpg aqui no Brasil é que é no Brasil. Porra, somos poucos e mesmo assim desunidos. Niguém toma iniciativa pra nada, mas todos criticam. Mas é isso ai. ano que vem acredito que teremos novamente o encontro, onde vou poder encontrar gente legal como vocês e o rapaz do Might Blade, comprar uns livros obscuros de jogos que nem sei se vou jogar, jogar um pouquinho e beber bastant depois do evento. Ah, e claro, apontar e rir das víuvas….

    • Rocha disse: (Author)

      Pois é, fico de cara com umas coisas, tipo o pessoal reclamando do preço de 20 reais a INTEIRA para ficar em um evento com programação de 9 às 18. Tipo hein? E ainda tem essa galera viúva do EIRPG ou do tempo que ainda tinham alguma voz e importância no RPG.

      Mas como diz aquele velho ditado "os cães ladram mas a caravana não pára"!

  9. Mais uma vez não pude ir… Mas quem sabe na próxima… Seria muito importante e interessante a troca de informações e experiências entre Blogs e jogadores…

    Parabéns pela Mamute (ainda vou pedir a minha!!!)

    Abrações

    P.S.: Só está faltando o ranking cinza de junho…dessa vez eu melhorei!!! :P

  10. Kairo Abade disse:

    Uma coisa legal que vi o Nitro (Nitro dungeon) falar é que a apresentação de alguma banda no evento seriabem legal. Tudo bem, sei que Queens of the Stone Age seria dificil, mas sei que um "barulho" depois do evento seria muito legal!

  11. Pedro disse:

    Rocha cadê o maravilhoso ranking cinza ??????

Trackbacks for this post

  1. Tweets that mention De volta da RPGCON 2010 -- Topsy.com

Comments are now closed for this article.