Indicados ao Prêmio Origins 2011

Já mando um aviso, este post é sobre uma notícia velha, de duas semanas atrás. Por isso mesmo pretendo não só dar a notícia, mas fazer uma discussão básica pra valer a pena : )

Disclaimer dado, vamos a notícia: no dia 12 de Abril (eu avisei que era velha!) foram anunciados os indicados ao trigésimo sétimo prêmio Origins, voltado para jogos e produtos relacionados. Então antes da falação, vamos dar uma olhada nos indicados das categorias de RPG, que são as que interessam aqui:

Melhor Jogo de RPG

DC Adventures – Green Ronin Publishing

Designer: Steve Kenson

Dragon Age, Set 1 – Green Ronin Publishing

Designer: Chris Pramas

The Dresden Files RPG  – Evil Hat Productions

Designers: Leonard Balsera, Jim Butcher, Genevieve Cogman, Robert Donoghue, Fred Hicks, Kenneth Hite, Ryan Macklin, Chad Underkoffler, Clark Valentine

Fiasco – Bully Pulpit Games

Designer: Jason Morningstar

Gamma World RPG – Wizards of the Coast

Designers: Rich Baker, Bruce Cordell

 

Melhor Suplemento de RPG

A Song of Ice and Fire Campaign Guide (A Song of Ice and Fire RPG)  – Green Ronin Publishing

Designers: David Chart, Joshua Frost, Brian Kirby, Jon Leitheusser, Anthony Pryor, Robert J. Schwalb, Owen K.C. Stephens

The Dresden Files: Our World (The Dresden Files RPG) – Evil Hat Productions

Designers: Leonard Balsera, Jim Butcher, Genevieve Cogman, Robert Donoghue, Fred Hicks, Kenneth Hite, Ryan Macklin, Chad Underkoffler, Clark Valentine

Advanced Player’s Guide (Pathfinder RPG) – Paizo Publishing

Designers: Judy Bauer, Jason Bulmahn, Christopher Carey, James Jacobs, Steve Kenson, Hal Maclean, Rob McCreary, Erik Mona, Jason Nelson, Stephen Radney-MacFarland, Sean K. Reynolds, F. Wesley Schneider, Owen K.C. Stephens, Lisa Stevens, James L. Sutter, Russ Taylor, Vic Wertz

Sixth World Almanac (Shadowrun RPG)- Catalyst Game Labs

Designers: Jason Hardy, John Heifers, John Dunn

Sunward: The Inner System (Eclipse Phase RPG) – Posthuman Studios

Designers: Rob Boyle, Brian Cross, Adam Jury

O prêmio Origins é o segundo maior do mercado de RPG, ficando atrás só do ENnies. Na verdade, apesar de estar em sua trigésima sétima edição, durante muito tempo o Origins não teve grande legitimidade, principalmente devido a lista um tanto restrita dos jogos que chegavam a serem indicados. O prêmio recuperou parte de sua relevância em 2009, quando o Mouse Guard RPG venceu o Livro do Jogador do D&D 4ª edição na categoria de Melhor Jogo de RPG, e desde então tem apresentado listas de indicados cada vez mais “pra frente”, saindo um pouco dos padrões de mais vendidos que eram comuns ao prêmio.

Então vamos retornar aos indicados. Na categoria Melhor Jogo de RPG temos o DC Adventures e o Dragon Age Set 1 da Green Ronin, o Gamma World da Wizards of the Coast, o Dresden Files: Your Story da Evil Hat e o Fiasco da micro Bully Pulpit. Aliás, termos de número de nomeações, a Green Ronin saiu na frente, sendo a única editora que conseguiu quatro indicações no total da premiação. Tanto o DC Adventures como o Dragon Age Set 1 são jogos que possuem um valor de produção excelentes, muito bem acabados e elogiados, assim como o Gamma World, se não me engano um dos produtos mais elogiados que a WotC lançou nos últimos anos. O Dresden Files: Your Story da Evil Hat é maravilhoso, contém a mais recente implementação do sistema Fate, o que por si só já valeria a indicação. Finalmente o Fiasco, jogo indie de incrivelmente aclamado e que em breve terá uma versão nacional pela RetroPunk.

Já na categoria de Melhor suplemento de RPG temos o Song of Ice and Fire Campaign Guide também da Green RoninDresden Files: Our World o segundo livro que compõe o Dresden Files RPG da Evil HatAdvanced Player’s Guide da Paizo para o Pathfinder, Sixth World Almanac para Shadowrun da Catalyst, e o bonitão suplemento do Eclipse Phase Sunward: The Inner System da Posthuman. Portanto, dentre os dez indicados, temos impressionantes três indicações da Green Ronin, duas da Evil Hat, e uma tanto das grandes Wizards of the Coast, Catalyst Paizo, como das nanicas Bully Pulpit e Posthuman Studios.  Parece que as editoras de tamanho médio que se deram bem desta vez!

O sempre sagaz Fred Hicks da Evil Hat fez um post muito interessante no qual comenta o processo de nomeação, e principalmente de votação que rege o prêmio Origins. Recomendo muito a leitura do original, mas farei uma versão lite aqui também com algumas considerações.

Os jogos nomeados são inicialmente listados por um júri de profissionais da indústria. Só que aí vem a parte difícil: esta lista mais extensa é submetida aos lojistas e distribuidores no GAMA Trade Show, convenção que este ano aconteceu em Março, e os cinco mais votados de cada categoria são efetivamente indicados ao Origins. Ou seja, não basta ser um sucesso da internet, seu jogo tem que ter marcado uma presença nas lojas físicas, o que torna a indicação do Fiasco ainda mais impressionante!

E sobre a votação a coisa fica ainda mais complicada… Depois que o júri selecionou alguns indicados a nomeação e os lojistas votaram os cinco indicados no GAMA Trade, os vencedores do Origins são escolhidos por um sistema de votação aberta, mas não aberta a qualquer um como o ENnies, mas somente para aqueles presentes na Origins Game Fair que este ano acontece de 22 a 26 de Junho.

Então para ser o mais votado dentre os cinco indicados, geralmente o jogo tem que ter uma presença marcante na Origins Game Fair, algo inclusive que muitos apontam como um dos motivos da derrota do Dungeons & Dragons 4e para o Mouse Guard RPG em 2009, já que a Wizards teve uma presença pífia no evento, enquanto o Luke Crane e sua turma estavam bombando mesas de jogos e stands por lá.

Claro que ter uma marca reconhecida e um bom jogo também são fatores extremamente importantes, mas em caso de dúvida e indecisão, é provável que os freqüentadores da Origins Game Fair escolham aqueles jogos que estejam bombando no momento, ou que ele tenha convesado com o autor e jogado ali mesmo por algumas horas. Entrar na cabeça do público da Origins Game Fair pode não ser a única coisa necessária para ganhar o Origins, mas é uma parte bem importante!

Vai ser curioso acompanhar como o pessoal de uma micro editora como a Bully Pulpit ou a Posthuman Studios tentarão fazer essa presença, frente a frente com editoras com muito mais estrutura como a Paizo ou a Green Ronin. Pessoalmente acredito que o Dresden Files: Your Story leva o prêmio de melhor RPG, por vários fatores: tem no universo Dresden uma licença cada vez mais conhecida, é a nova versão de um sistema de regras com uma comunidade forte e em expansão, e porque os caras da Evil Hat são muito bons e fomentar esta comunidade e tem feito várias coisas legais que tem dado um bom nome a empresa, como divulgar abertamente seus números de vendas e discutir seu processo de produção e criação de forma bastante clara. Esse é meu chute pelo menos…

Saberemos o resultado na noite do dia 25 de Junho, e até lá, quais são os seus palpites?

6 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. Daniel Anand disse:

    Cara, eleição na gringa é sempre algo bizarro. O sistema do ENnies é muito mais claro e razoável, imho.

    • Rocha disse:

      Também acho o método do ENnies muito melhor, na verdade isso deve ser quase um consenso… Inclusive acredito que este seja um dos motivos para que o prêmio tenha adquirido mais prestígio e legitimidade que o Origins.

    • Scizornl disse:

      Concordo com a opinião do Anand. Meus votos são para FIASCO! para melhor game de RPG e A Song of Ice and Fire Champaign Guide como melhor suplemento.

  2. bobnerd disse:

    Kra, fiquei impressionado com a indicação do Dresde Files, Eclipse Phase e principalmente do Fiasco. A Sonf of Ice and Fire também é interessante, mas tem todo o hype da série de livros e da série da HBO, então era de se esperar. Estou torcendo para Dresden Files, Eclipse Phase e Fiasco, apesar de gostar demais do DC Adventures. Gamma World eu nunca joguei, já ouvi falar e só. Torço o nariz para as coisas da WotC.

  3. Bicudo disse:

    O que eu acho mais páia é vê um bando de RPGista falar de uma sistema que nunca jogou.
    O cara talvez tenha lido um core de um sistema, mas ler um core é a mesma coisa de jogar, sei lá, umas 30 horas de sessões do jogo para saber se presta ou não ?

    É igual neguim que nunca jogou D&D 4E ou só jogou sessões mirradas (sabe se lá com mestres ruins) , só leu o core e depois enche a boca pra falar que o jogo é ruim ou agrega valor de opinião de outras pessoas.
    A mesma acontece com julgamentos a TormentaRPG, GURPS, Mundos das Trevas, etc .., só falei do D&D 4E por ser o mais famoso, usando-o como exemplo.

    Cara uma pessoa que joga uma one shot de um sistema e julgar o sistema por esse pouco tempo, esse cara é maluco, só pode. Até porque você pode ter uma boa experiência com o jogo por ter um mestre bom ou experiência ruim com mal mestre, ou pode acontecer o contrário, o jogo é ruim mas o mestre é bom (kkkk).

    O que eu vejo é pessoas pousando de intelectuais antenados sobre sistema de RPG e o cara mal jogou 10 sessões do jogo. A opinião do cara é alienada e condicionada a : Resenhas e agregação de valor a opinião de terceiros e por aí vai.

    Eu nunca vou falar bem ou mal de um jogo como Fiasco sem te-lô jogado, não posso me basear no mimimi dos alienados.

    • Rocha disse: (Author)

      Olha cara, não sei muito bem o que isso tem a ver com o post, mas enfim, eu julgo sim jogos de acordo com a leitura do livro ou de uma ou duas sessões de jogo. Se eu fosse jogar 30 horas para ter uma opinião formada sobre cada jogo que tenho/quero, teria que sair do meu emprego.

      Concordo que talvez não seja a avaliação mais completa e minuciosa, mas partir dessa idealização de jogar campanhas para avaliar RPG, pra mim é um puta retrocesso.

Comments are now closed for this article.