Diário do Game Chef Brasil – Dia 7

Meu último dia de criação para o Game Chef Brasil, tenho cerca de 12 horas pra mandar mais  umas 1500 palavras no Transmissões!

Na quinta avancei bastante com o texto, encerrando as seções de criação da comunidade e dos personagens. Foi até tranquilo, Transmissões me parece ser (ou eu queria que fosse, sei lá) o tipo de jogo que não tem mecânicas muito complexas ou exóticas, mas que ganha um contorno interessante quando todas as pecinhas simples interagem entre si em um balanço delicado. Pelo menos é assim que eu queria que o jogo ficasse!

Apesar da correria e do prazo demente, a experiência de criar não um jogo, mas um draft, uma primeira versão, funcional mas tosca é bastante libertadora! Em vários momentos do texto me pego pensando em colocar um exemplo, um floreio, que tal parágrafo poderia se mais claro ou mais elegante, e às vezes até começo a reescrever, quando o prazo ridículo e o limite de palavras invadem gritando minha cabeça. Essa é a graça da brincadeira: É claro que meu jogo não vai ficar incompleto, desequilibrado, estranho ou sem graça porque eu sou um designer de jogos ruim, pois sempre posso botar a culpa nas limitações do formato. Se não fosse esse cachorro e essas 4 mil palavras estúpidas eu teria feito uma obra-prima do RPG, mas já que eles atrapalharam meus planos, fiquem aí com o que eu fiz em sete dias na correria!

Agora vou para para faculdade, com sorte consigo rabiscar umas 200 palavras no ônibus…

Comments are closed.