Transmissões, meu jogo para o Game Chef Brasil (fim do diário!)

Depois de uma maratona de uma semana (mal documentada aqui!), consegui terminar e enviar em cima da hora o Transmissões, meu jogo para o Game Chef Brasil.

Como comento no anexo, tentei criar o Transmissões ao redor de algumas ideias centrais, e acredito que fui mais feliz em transformar algumas delas em mecânicas do que outras. As noções de exploração e risco, por exemplo, representadas através da mecânica que mistura a lógica que níveis definidos de sucesso do Apocalypse World com algo parecido ao clássico 21 de baralho, onde o próprio jogador controla não apenas ficcionalmente, mas também através da mecânica o quanto vai se arriscar e/ou descobrir em sua busca por recursos.

Mas minha principal proposta era de tentar transmitir (e o jogo não se chama Transmissões apenas devido a centralidade das frequências perturbadoras) a experiência que a vida em um ambiente hostil só é possível através do suporte de uma comunidade. Neste ponto central Transmissões é um jogo falho, e espero no futuro conseguir torná-lo mais redondo, mais sutil, menos focado em recursos, e assim quem sabe incorporar este ponto que considero essencial ao jogo de uma forma mais clara e interessante.

De qualquer forma foi um exercício divertido de design, tenho que agradecer os organizadores pela estranha e divertida experiência de criar algo do nada em 7 dias!

Agora fico no aguardo das avaliações e comentários dos companheiros de empreitada, que inclusive podem enviá-los por aqui!

2 Comentários

O que acha? Tem alguma crítica ou sugestão? Só mandar! Deixe um Comentário

  1. Fala Rocha!

    Gostei demais do seu jogo e respondendo alguns critérios de avaliação do GameChef, posso te dizer que sim, estou com vontade de jogar esse jogo!
    Bem escrito, bem explicado, limpo, com uma premissa instigante e mecânicas adoráveis. Claro que quero jogar! E isso já responde a segunda pergunta positivamente, pois ao terminar de ler me sinto capaz de jogar tranquilamente.

    Consigo sentir uma boa interpretação do tema e dos ingredientes, tanto nas regras quanto no background. Mais um ponto positivo. Em meio a tantos jogos “doidões”, vejo a ousadia em optar por fazer algo com um pé no tradicional, porém com mecênicas instigantes.

    Não consigo encontrar alguma sugestão para melhoria no que foi escrito, pois se eu comprasse esse jogo, não iria fazer nenhuma modificação e nem regra da casa. Ia ser by the book, pois as regras estão direcionando para a proposta do jogo de uma forma bem clara e fluída.

    A única sugestão que posso dar é que, agora liberto das limitações do concurso, continue desenvolvendo até que atenda todas as suas expectativas, caso seja sua intenção dar continuidade.

    Parabéns pela criação!

    Abração!

  2. Manue Gomes disse:

    Bom, decidi avaliar os jogos a mim incumbidos (e o seu é um deles, rs) através de um método de “pontos positivos” e “pontos negativos”. Então, lá vai:

    Pontos positivos:

    Enredo bacana e bem construído. – Muito bom o enredo central e muito bem escrito. Logo de cara, consegue transmitir (rsrs) a imersão desejada.

    Texto bem escrito. – Um dos jogos participantes mais bem escrito, senão o mais. Estrutura bem funcional, praticamente sem necessidade alguma de alterações, ao meu ver.

    Bom uso do tema e ingredientes. – Gostei bastante das interpretações do tema e ingredientes. Achei bem utilizados, em sintonia com a proposta do jogo.

    Pontos negativos:

    Forma como as frequências funcionam. – Não entendi o porquê da frequência acima de 12 trazer consigo um ruído, sendo que em tese, é o valor mais difícil de se obter. Não compreendi o porquê de você fazer essa escolha.

    Turno de criação pouco desenvolvido. – Explico: não é que não o achei suficiente, mas senti falta de algo. Não sei explicar o quê. Deve ser coisa minha, enfim.

    Fim inesperado do “livro”. – Acho que o curto tempo contribuiu pra isso, mas parece que o “livro” termina de forma abrupta. Passa essa impressão, ao menos. Não que isso seja bem um ponto negativo, pois se ficamos com essa impressão, é porque estávamos gostando da leitura e gostaríamos de ter mais, rs.

    Enfim, os pontos negativos foram mais queixas pontuais, nada de muito grave. Precisa passar por uma nova revisão também, mas no geral, gostei bastante do seu jogo. Quero deixar claro que, pra indicação de um jogo, levei bastante em conta o tempo curto pra desenvolvimento dos jogos que o concurso tem e sei que isso foi um fator determinante na qualidade geral dos jogos. Por fim, parabéns e espero que continue desenvolvendo seu jogo (mesmo já considerando ele bem pronto), pois tem bastante potencial.

Comments are now closed for this article.